quinta-feira, janeiro 31, 2008

Portugal 17

El Toro!

A remodelação do actual governo não conseguiu abafar dois factos bem mais relevantes: a frente anti-corrupção proclamada no âmbito das cerimónias de abertura do ano judicial, e a nova investigação dos voos ilegais da CIA sobre território nacional.

Ontem a caixa de e-mail, os SMS e os telefonemas não paravam. Primeiro, por causa das mais recentes declarações de António Marinho Pinto, recém eleito bastonário da Ordem dos Advogados, sobre a epidemia de corrupção que grassa em Portugal. Depois seguiu-se a varredela para debaixo do tapete governamental de um ministro aselha e de uma ministra que nunca deveria tê-lo sido. O dia fechou com a reabertura do dossier sobre os voos ilegais da CIA em território nacional, que a covardia política do Bloco Central, apesar das excepções (Ana Gomes e Carlos Coelho), prefere ignorar.

Arrumemos rapidamente o assunto da micro remodelação governamental.

Os erros clamorosos de Correia de Campos na localização das receitas importadas para a reforma do Sistema Nacional de Saúde, a par da cupidez neoliberal do actual governo, iam transformando uma das mais importantes reformas prometidas por José Sócrates no seu caixão prematuro. Assim sendo, não havia outro remédio que não fosse despedir o ministro. Ao fazê-lo, José Sócrates Pinto de Sousa, exemplar genuíno de Chico esperto lusitano, conseguiu matar dois coelhos de uma cajadada só: viu-se livre dum ministro assassino (assassino do governo, entenda-se) e deixou aparentemente Manuel Alegre, uma vez mais, a vocalizar no deserto! Resta saber se o arrependimento de Sócrates não chegou tarde demais, e se as tropelias em curso pela tríade de piratas que o pôs onde está, não irão precipitar a queda antecipada deste prometido anjo da nossa democracia. Tudo depende, em última instância, do juízo e sentido de oportunidade de Cavaco Silva.

A minha intuição e o meu querer dizem-me que o regime precisa urgentemente de um reajustamento partidário sério. O Bloco Central já não vai a lado algum. E se a agonia política do actual sistema se prolongar por muito mais tempo, acabaremos por colocar em risco o próprio regime constitucional. O Portas e o Santana devem casar-se de uma vez por todas, e formarem um partido populista à medida das suas fantasias. O PSD deve voltar a ser um partido de empresários patriotas (e despedir rapidamente o Menezes). E quanto ao PS, tem apenas uma alternativa e uma oportunidade: parir um partido liberal-democrata (com a gente que entretanto tomou de assalto o PS e nos governa), e deixar o velho Partido Socialista assumir uma direcção social-democrata lúcida, intransigente e ancorada nas novas classes criativas. Quanto ao Bloco de Esquerda, o seu futuro há muito que deixou de fazer sentido útil. Não passa duma obtusa elite universitária às voltas com os fantasmas do trotskismo, do maoísmo e do estalinismo. O PCP, por fim, ainda que cada vez mais senil e insuportável, sobreviverá enquanto os socialistas de gema continuarem a esbracejar no pântano deixado por António Guterres.

A crise económica que temos pela frente não deixará de produzir efeitos nefastos nesta conjuntura. O espírito de colaboração e decoro entre os pares do reino está por um fio. Tal como no dilema do prisioneiro, todos parecem dispostos a trair o amigo. Rouba o mais que puderes, o mais depressa que conseguires, e foge! -- parece ser o lema instalado na classe política nacional e autárquica. Se não houver travão a este descalabro, teremos pela certa um desastre de enormes proporções e duração.

É aqui que entra a corajosa intervenção de António Marinho Pinto. Bastou-me ouvir o barão da advocacia portuguesa, José Miguel Júdice (com uma formidável dor de corno), insultar o recém eleito bastonário, na SIC Notícias, como o fez, para perceber que tínhamos um personagem incómodo à frente da Ordem dos Advogados. Fiquei satisfeito por ver que se vai formando uma fronda de gente honesta e corajosa contra o manifesto afundamento do país por uma classe de parasitas, profundamente ignorante e disposta a vender-nos por umas férias no Ilhéu das Rolas. Nomes como José Silva Lopes, Medina Carreira, Maria José Morgado, e outros, emergiram da sopa de generalidades e pessimismo vago que infelizmente ainda domina boa parte da maledicência mediática que temos, para nos avisar dos perigos reais que corremos enquanto nação independente, apontando ao mesmo tempo novos comportamentos colectivos, medidas preventivas e acções executivas inadiáveis. Não menos importante e saudável, é a coragem que têm demonstrado estes democratas nas acusações e desafios lançados às poderosas máfias e tríades que, insensíveis ao mal que causam, apenas obedecem à sua escancarada gula económica e política.

Algumas hienas aflitas uivaram que o bastonário não podia fazer acusações genéricas, que tinha que concretizar, repetindo o alarido dos autarcas contra as invectivas que lhe foram dirigidas há algum tempo por Saldanha Sanches. Pobres animais! Então não leram o discurso de posse do actual Procurador-Geral? Eu recordo-lhes:
"Compete ao Ministério Público não só dirigir a investigação criminal, ainda quando realizada por outras autoridades, como também promover e realizar a acção de prevenção criminal. Todo o crime deve ser investigado. Há, porém, crimes que pela sua especial gravidade, pela sua enorme repercussão em várias áreas da sociedade, necessitam de uma maior colaboração entre os vários órgãos do Estado, de uma maior participação dos cidadãos e também de um maior dispêndio de tempo e de meios. É o caso da corrupção.

A problemática da corrupção não é específica deste ou daquele território, de um ou outro regime político, tendo antes uma dimensão universal.

E não é um fenómeno que tenha surgido subitamente como praga dos tempos modernos. A corrupção é tão antiga como as sociedades organizadas. Platão e Aristóteles falam da corrupção e entre nós já a ela se referia o cronista Fernão Lopes.

Várias leis foram elaboradas com o fim de combater a corrupção, várias experiências foram tentadas, várias iniciativas tomadas, mas a corrupção está aí, tão viva como sempre, minando a economia, corroendo os alicerces do Estado democrático.

Independentemente de novas leis que venham a ser criadas, dos novos meios de que se passe a dispor, há um aspecto que gostaria de realçar.

Se a ordem jurídica não se pode confundir com a ordem ética, sob pena de se poder cair num qualquer fundamentalismo, a verdade, é que em cada povo e em cada época tem que existir aquele mínimo de valores éticos a respeitar, e subjacentes à feitura e aceitação das leis.

É aqui, penso, que se coloca um dos pontos chave da luta contra a corrupção em Portugal. É fundamental a criação de um juízo de censura, de um desejo de punibilidade existente na consciência moral do homem médio, que por isso deve ser sensibilizado para o problema.

Não havendo essa consciência moral e a certeza de que todos serão tratados de igual forma, existindo antes a convicção de que "todos se governam" e que a corrupção é um mal menor e inevitável, os esforços contra a corrupção serão sempre votados ao fracasso.

Havendo vários graus de corrupção, desde a pequena corrupção até à corrupção de Estados, a verdade é que a grande corrupção, arrastando grandes interesses, torna os poderosos mais poderosos e os fracos mais fracos. Até por isso, o Ministério Público, que por definição tem que proteger os mais desprotegidos, deve empenhar-se seriamente no combate à corrupção. E desde já, aproveitando os meios de que dispõe, enquanto não forem melhorados e não esperando por novas leis, antes fazendo uso das que existem.

Combate esse a travar com total respeito pelos direitos, liberdades e garantias de cada um, como é regra num Estado de Direito.

É gratificante para quem desde há muito considera a corrupção como um dos crimes mais demolidores das estruturas democráticas e esteve empenhado, num passado não muito distante, no seu combate, verificar que o senhor Presidente da República, Governo e partidos políticos estão profundamente interessados na luta contra esse crime e preocupados com os efeitos do mesmo."

in discurso de posse do Procurador-Geral da República, Fernando Pinto Monteiro.

António Marinho Pinho não faz mais do que seguir à risca as palavras sábias do mais alto representante do poder judicial. E o mais significativo da situação é a sintonia crescente entre o Presidente da República, o Procurador-Geral e o Bastonário da Ordem dos Advogados nesta essencial questão da democracia. Sem Justiça, perante a indolência interesseira do Parlamento, e perfilando-se no horizonte a tomada de assalto das principais instâncias do poder por parte de tríades e hordas de vigaristas de todos os matizes, está de facto em causa a própria segurança do Estado em áreas nevrálgicas, que a não serem acauteladas, formarão um cancro incurável, não apenas da democracia, mas da própria independência do país. A corrupção é uma peste, atingindo hoje proporções de verdadeira pandemia, que urge atacar sem dó nem piedade. Como noutros males que nos afligem, o melhor remédio é sempre a prevenção. No caso português, é urgente prevenir em lei, de forma clara e transparente, as situações de conflitos de interesses, de abuso de informação privilegiada e de pagamento de favores. Alguns exemplos inaceitáveis:
  • Joaquim Ferreira do Amaral, que presidiu enquanto ministro a um negócio ruinoso para o Estado -- esquema de financiamento da construção da Ponte Vasco da Gama (ver Relatório do Tribunal de Contas) -- veio depois a ser cooptado para Presidente do Conselho de Administração da Lusoponte, empresa que explora a Ponte Vasco da Gama, onde continua a exercer funções, pretendendo mesmo conduzir-nos a novo fiasco, com a construção da Ponte Chelas-Barreiro (uma aberração técnica e um embuste semelhante ao da Ota).
  • O caso escandaloso do Hospital Amadora-Sintra, que corre em tribunal, tendo como arguida a antiga responsável pela ARS, por ilícito praticado, com prejuízo imenso para o Estado, regressa à opinião pública porque o julgamento do caso está para muito breve, e porque a arguida e a recém-empossada Ministra da Saúde são a mesma pessoa: Ana Jorge!
  • Membros do PP, no governo de Santana Lopes, estiveram envolvidos em operações relacionadas com a compra de submarinos militares, de que teriam resultado pagamentos de luvas e tratamentos de favor ilegais em benefício do Grupo BES, no caso a declaração de "utilidade pública" de um empreendimento turístico em Benavente.
  • A TAP, uma empresa pública, comprou a PGA ao Grupo BES por 135 milhões de euros, quando se sabia que a mesma PGA era já uma empresa sem futuro, com prejuízos crescentes (por isso não apresentou as contas de 2006), excesso de recursos humanos e aviões inúteis. Em consequência deste negócio, só possível com o acordo do actual governo, a TAP apresentou em 2007 resultados operacionais distorcidos da realidade, anunciando, por um lado, mais passageiros transportados, e por outro, resultados operacionais aquém dos traçados pelo governo.
  • Armando Vara, militante de topo do PS e muito próximo do actual Primeiro-Ministro, é um dos novos vice-presidentes do BCP, mantendo porém vínculo contratual com a concorrente Caixa Geral de Depósitos, de onde transitou, numa das mais controversas operações realizadas até à data na banca portuguesa. Como é possível tamanha acumulação de interesses?
  • Vítor Constâncio, Governador do Banco de Portugal, não só aufere vencimento escandaloso, quando comparado com congéneres, por exemplo, norte-americanos (ler este minucioso quadro comparativo); não só mantem uma estrutura de pessoal desproporcionada aos reais afazeres do banco; como mal-acompanhou e mal-supervisionou as tropelias do maior banco privado português -- o BCP --, permitindo assim que o descalabro chegasse ao triste fim a que chegou.
  • Dias antes de o relatório do LNEC sobre o Novo Aeroporto de Lisboa ser entregue ao Primeiro-Ministro, a Sociedade Agrícola do Rio Frio foi vendida a uma empresa off-shore chamada Trasset Investments BV, com sede em Amesterdão, por 250 milhões de euros! Como foi possível uma operação desta envergadura sem se conhecer antecipadamente qual seria a decisão do Primeiro-Ministro?

Os exemplos poderiam multiplicar-se, mas interessa apenas sublinhar o estilo e a gravidade do que está em causa. Para que não se fique a pensar que estamos a falar de generalidades.

Para colocar um ponto final neste postal, que já vai longo, diria que o regresso do dossier das torturas e dos voos clandestinos da CIA em Portugal, vem demonstrar que não temos só um grave problema de corrupção pela frente, mas dois: o que pilha sem vergonha o erário público, e o que escancara a nossa subserviência canina diante de uma potência imperial, mesmo quando esta atropela flagrantemente o Direito Internacional, a Declaração Universal dos Direitos do Homem, e se limita a copiar, neste seu perigoso declínio, os piores métodos de qualquer ditador latino-americano da década de 70.

OAM 303 31-01-2008, 00:41 (actualização: 11:26)

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Crise Global 10

Jerome Kerviel, hacker genial ou bode expiatório dos piratas da Societe General?
Jérôme Kerviel, hacker genial ou bode expiatório
dos piratas da Société Generale.


O colapso de um grande casino

"Na minha opinião, quem deveria estar preso são os seus patrões e empregadores." -- Sylviane Le Goff, Tia de Jérôme Kerviel. -- BBC News.

SocGen Failed to Notice Kerviel's $73 Billion in Bets

French bank Societe Generale has admitted that its internal controls failed to catch bets worth over $73 billion -- far more than the bank was worth. It is now being accused of contributing to the European market crash last week when it offloaded the bad bets. -- Der Spiegel.

La crise mondiale est pour demain
La financiarisation, la prise du pouvoir sur l'activité économique par l'actionnaire ont entrainé une diminution des revenus du travail, un chômage et une précarisation généralisés qui remettent en cause l'équilibre du système en étranglant la demande, et en privilégiant la spéculation à court terme sur l'investissement productif. Jusqu'à présent, ce déséquilibre structurel a été compensé par un recours au crédit de plus en plus massif par les états et les ménages . Mais tout le monde sait que cette pyramide de dettes ne sera jamais remboursée. L'heure - douloureuse - de régler les comptes a-t-elle sonné ? -- Michel Rocard, Le Nouvel Observateur.

O colapso anunciado da Société Generale (Soc Generale) conta-se em duas penadas, mas como é uma história dramática, houve que dá-la a conhecer a conta-gotas e exibindo à opinião pública um bode expiatório que arcasse com a responsabilidade por um buraco financeiro de 4,9 mil milhões de euros (um aeroporto em Alcochete!), em resultado de uma parada programada de investimentos especulativos, entretanto interrompida, na ordem dos 50 MIL MILHÕES DE EUROS! Este valor, posto em jogo pela Soc Generale, é superior ao próprio valor daquele que é o segundo maior banco francês, 35 mil milhões de euros, e equivale ao deficit orçamental anual da França!!

Sabe-se já que o discreto e muito apreciado corretor, apressadamente responsabilizado pelo maior prejuízo alguma vez ocorrido numa instituição financeira, desde que há registos oficiais, em resultado de um esquema de apostas automáticas no mercado altamente especulativo dos chamados "derivados" e "futuros", não meteu um cêntimo ao bolso. Imagina-se que, por outro lado, dada a sua posição técnica, os 100 mil euros que auferia por ano na sociedade corretora que trabalha para a Société Generale (Soc Generale), e como em qualquer casino de Las Vegas, Jérôme Kerviel não teria qualquer possibilidade de realizar tamanhas apostas especulativas sem o pleno conhecimento, autorização e supervisão permanente do banco. Fontes bem informadas adiantam que o dito corretor não teria porventura liberdade de acção para lá dos 2 milhões de euros. Assim, quando este "Einstein" pôs em movimento, no início de Janeiro, um carrocel informático de 140 mil apostas ("puts"), na Bolsa de Frankfurt, com base em informação privilegiada, a qual apontaria para uma subida do DAX, tal operação foi inexoravelmente supervisionada, hora a hora, pelos donos do casino, perdão, da Bolsa de Frankfurt, e da Soc Generale, como refere a Der Spiegel em crónica sobre este filme de ficção tornado realidade. Em qualquer casa de jogo, para se obterem fichas, alguém tem que confirmar a solvabilidade do jogador. No money, no play!

Por cada ponto que o DAX subisse, a Soc Generale (não o pobre corretor) ganharia 25 euros por aposta ("put"). Mas como o índice não subiu, e pelo contrário desceu 600 pontos entre 1 e 18 de Janeiro, o banco francês perdeu nesse período 140.000 x 600 x 25 = 2.100.000.000 euros. Daqui aos 4,9 mil milhões de perdas vai todo um rosário ainda por contar. Da compra de crédito de risco americano (Subprime) ao que ainda falta saber, o retrato do ultra-liberalismo não poderia ser mais sugestivo. De momento, lá como cá, temos os piratas que dirigem os bancos e os piratas da política a mentir com todos os dentes sobre as verdadeiras causa do tsunami financeiro mundial. Não acreditem em nada do que vos dizem! Serão quase sempre mentiras ou meia-verdades. E sobretudo muito cuidado com o dinheiro que deixam à guarda dos bancos em acções ou quaisquer planos de poupança, seguros de saúde, etc.) Um autêntico perigo!

Vamos saber, até ao final de Março, quais as repercussões de tudo isto na economia portuguesa (parece que a Jerónimo Martins era um bom cliente da Société Generale...), e sobretudo na banca portuguesa, nomeadamente na Caixa Geral de Depósitos, que alguns suspeitam estar envolvida no fiasco do Subprime.

Actual crise financeira global resulta da combinação explosiva entre o endividamento generalizado das economias americana e europeia e os múltiplos esquemas artificiais de superação e encobrimento da mesma, entre os quais se encontram os mercados virtuais de derivados, os jogos especulativos com divisas (FOREX), de que há a destacar o chamado carry trade japonês, e produção sistemática de dívida especulativa, como forma de estimular o consumo. A entrevista dada por Michel Rocard em Dezembro do ano passado ao Nouvel Observateur é, a este propósito, muito reveladora.

(OAM/ FBC)


ÚLTIMA HORA
30-01-2008. Apesar de Sarkozy ter defendido, contra os avisos de Bruxelas (a 4 ou a 27?), a protecção francesa da Soc Generale, face aos predadores que circulam à volta do gigante ferido (mercado livre, liberalismo, quem disse?!), a verdade é que os seus melhores quadros (incluindo os hackers financeiros) estão a ser assediados pela concorrência. O Capitalismo já não é o que era!

29-01-2008. Lá como cá, a dança da concentração bancária europeia entrou numa nova vaga. O segundo maior banco francês, a Société Génerale (Soc Generale), está com o cio, perdão está "opável"! Entretanto, Jérôme Kerviel foi libertado e Sarkozy pede a cabeça do PDG da Société Generale. Deveria também pedir a cabeça do presidente do Banco de França! (OAM/FBC)

29-01-2008. La presse financière spécule sur la faiblesse de la Société générale, dont le cours a atteint son plus bas niveau depuis trois ans. Selon le Wall Street Journal, la BNP Paribas aurait commencé à discuter, en interne, sur l'opportunité d'une OPA sur sa rivale. Le Financial Times constate qu'outre BNP Paribas, le Crédit agricole s'est invité au bal des prétendants, qui pourrait se dénouer d'ici plusieurs mois. Le New York Times souligne, quant à lui, que les analystes de Citigroup, dans une note à leurs clients, indiquent que HSBC et Barclays pourraient également faire partie des banques tentées par une OPA sur la Société générale. -- Le Monde.


OAM 302 28-01-2008, 13:13

sábado, janeiro 26, 2008

Ferrovia 1


Comemoração dos 50 anos da electrificação da Linha de Sintra.

Alguém que tome conta da ferrovia!

Por ocasião do 50º aniversário da electrificação da Linha de Sintra (19-01-2008) a CP organizou um comboio especial com uma Unidade Tripla Eléctrica da 1ª / 2ª fase, repleta de convivas, sobretudo do PS e do PSD (Bloco Central oblige!)

À chegada a Sintra, a rapaziada apanhou um grande susto. Quem desenhou o evento desconhecia obviamente o significado da palavra Gabarit. Isto é, um conjunto de medidas que descrevem a secção espacial livre de obstáculos imprescindível à progressão de um comboio, ou "unidade", como se diz no jargão dos amantes da ferrovia.

Resultado, o comboio à chegada a Sintra, levou pela frente, a plataforma da linha (até as pedras da calçada saltaram) e uma rampa para desembarque de deficientes, enviando directamente um aficionado do caminho de ferro para o hospital, isto sem falar no facto do comboio ter ficado sem estribos e tudo aquilo que o Gabarit não arrancou!

Responsabilidades, é claro que não há. Ou antes, este facto, a avaliar pela imprensa que temos nem sequer existiu! E se o tipo que foi parar ao hospital não era deficiente, pois então passou a sê-lo. Aliás, ninguém o mandou ir assistir à chegada do comboio!

Se não fosse grave o que possibilitou esta ocorrência, seria apenas cómico. O episódio faz aliás lembrar o ocorrido com a inauguração do caminho-de-ferro em Portugal, no longínquo ano de 1856, depois de enormes polémicas entre Velhos-do-Restelo e Fontistas. A revista Única, do Expresso (12-01-2008), traz um saboroso artigo de Filipe Santos Costa sobre a primeira grande polémica em volta da política de transportes no nosso país. Transcrevo o último parágrafo, para comparar com o fiasco de Sintra, ocorrido há precisamente uma semana:
A 28 de Outubro de 1856, após anos de polémicas, "vinha festivamente embandeirado o wagon em que viajava el-rei D. Pedro V", na muito esperada inauguração do caminho-de-ferro. Infelizmente, a festa durou pouco. Logo nessa viagem, as locomotivas inglesas deixaram para trás algumas carruagens, por manifesta incapacidade para as puxarem. O relato publicado nas "Memórias da Marquea de Rio Maior" é eloquente: algumas carruagens com convidados ficaram nos Olivais; a do cardeal patriarca foi deixada em Sacavém; outra, "recheada de dignitários, ficou ao desamparo na Póvoa. (...) Até andou gente com archotes pela linha, em procura dos náufragos do progresso."

São dois episódios pitorescos, mas ainda assim reveladores do estilo desenrasca e trapalhão que caracteriza, por vezes, a alma lusitana. A comparação só é reveladora e oportuna porque temos pela frente, nos próximos 20 a 25 anos, a mais importante renovação de paradigma no transporte ferroviário, realizada, se não desde que o caminho-de-ferro surgiu entre nós, pelo menos desde que passámos das locomotivas a carvão para as "unidades técnicas" movidas a energia eléctrica. O transporte ferroviário, diante do irreversível pico petrolífero, e das alterações climáticas induzidas pela exponencial produção e lançamento para a atmosfera de gases com efeito de estufa, já é uma prioridade europeia. Mas para que não fiquemos na última carruagem da nova revolução em curso -- redes de Alta Velocidade e Velocidade Elevada -- teremos que proceder rapidamente e em força à substituição da rede de bitola ibérica (1668 mm de largura entre carris) por uma rede de bitola europeia, ou standard (1435 mm). Só assim poderemos ligar os nossos portos, aeroportos, cidades e centros de produção a Espanha e ao resto da Europa (Paris, Londres, Berlim, Varsóvia, Kiev, Istambul, Moscovo...)

Ora o que as recentes declarações sobre a Terceira Travessia do Tejo (TTT), a propósito da ligação Madrid-Lisboa em Alta Velocidade e Velocidade Elevada, e o fiasco de Sintra revelam, é que o sector ferroviário português continua sem norte e prisioneiro da lógica partidária corrupta do Bloco Central. Saco sem fundo de financiamentos partidários e enriquecimentos pessoais ocultos, a Refer, a RAVE e o Metro de Lisboa, correm o sério risco, se não houver uma purga impiedosa nas respectivas administrações, e sobretudo uma alteração radical dos respectivos métodos de gestão, filosofia de acção, transparência e responsabilidade social, de se manter este e os futuros governos no limbo da mais lamentável incompetência executiva.

Os políticos com assento parlamentar, do Bloco ao PP, passando pelo PS e PSD, têm que estudar, de um ponto de vista estratégico e político, e abandonando de vez a sempre conveniente e hipócrita delegação de competências nos técnicos (como se os partidos não tivessem sempre a obrigação de pensar politicamente sobre bases bases científicas e técnicas sólidas), o que é urgente fazer relativamente à mobilidade ferroviária que temos, para apanharmos o comboio da eficiência energética, da integração europeia e da criação dos paradigmas imprescindíveis ao desenvolvimento sustentável.

Os dados estão lançados: a ferrovia será cada vez mais a solução mais eficiente para mitigar o duplo problema da escassez de petróleo e das alterações climáticas. A renovação da rede ferroviária ibérica (que implica desde logo substituir milhares de quilómetros de ferrovia) é uma condição irremediável da integração deste sistema de transporte de pessoas e mercadorias na grande rede ferroviária europeia (de Lisboa a Moscovo, de Lisboa a Istambul).

A exploração comercial da rede ferroviária europeia será completamente liberalizada a partir de 2012, tal como ocorreu na rodovia e vem ocorrendo no transporte aéreo. A perspectiva mais provável é a da emigração da filosofia Low Cost para este modo de transporte, e mesmo, o da integração multimodal dos vários tipos de transporte por parte de grandes operadores tecnológicos de transportes a baixo custo. Empresas como a Ryanair, a easyJet, e outras, irão permitir que cada um de nós programe e administre racionalmente à nossa própria mobilidade económica, social e cultural, independentemente de utilizarmos automóveis híbridos partilhados, comboios, metros de superfície, barcos ou aviões. O sector público será sobretudo responsabilizado pela garantia dos direitos políticos e económicos de circulação, detendo a propriedade de algumas das infraestruturas críticas, cujas concessões administrará em defesa estrita dos interesses estratégicos da comunidade. O resto irá parar inevitavelmente ao sector privado concorrencial.

O futuro é amanhã, pois a longa emergência energética já começou e esmagará todos aqueles que não souberem adaptar-se a tal contingência estrutural. No caso do Grande Estuário, isto é, da Lisboa-região, e no que à polémica das pontes, agora iniciada, se refere, só existe uma solução racional e economicamente justificável: uma nova ponte exclusivamente ferroviária entre o Montijo e Chelas (que faça chegar o AVE de Madrid a Lisboa) e, lá para o ano 2020, uma nova travessia entre Algés e Trafaria (permitindo a circulação de automóveis e Tram Train). Mas para aqui chegarmos teremos que fazer duas coisas: obrigar os políticos a trabalhar com a cabeça e não com os bolsos, e correr com os piratas da Lusoponte.

OAM 301 26-01-2008, 12:11

quinta-feira, janeiro 24, 2008

Bloco de Esquerda

Joana Amaral Dias
Joana Amaral Dias discursa em comemoração do 25 de Abril (2006).

Uma linda menina na política!

Pedro Ferraz da Costa delicia-se a divergir de Joana Amaral Dias.

"As of early 2007, it is estimated that as much as US$1 trillion may be staked on the yen carry trade. Since the late-1980's, the Bank of Japan has set Japanese interest rates at extremely low levels making it profitable to borrow Japanese yen to fund activities in other currencies. Many of these activities included things like subprime lending in the USA, but also include funding of emerging markets, especially BRIC nations and resource rich nations." -- in "Carry (investment)", Wikipedia.

Quando ontem ouvi o maoista da UDP e deputado Bloquista, Luís Fazenda, criticar Jean-Claude Trichet, Presidente do Banco Central Europeu, por manter as taxas de juro, em vez de as baixar, como fizeram George W. Bush e os gurus da Reserva Federal, fiquei siderado. Então o Bloco de Esquerda quer inundar a Europa com mais notas de Monopólio e de crédito, aumentar a inflação e, em última análise, forçar a economia europeia a colocar-se ainda mais ao colo dos Países Árabes do Golfo e da... China?! Ou achará o Bloco de Esquerda que as dívidas não são para pagar? Ou achará o Bloco de Esquerda que a Europa também deve, como parecem querer os americanos, copiar o carry trade japonês?

A taxa de desconto oficial do Banco Central Japonês é de 0,10% desde Setembro de 2001! O Federal Open Market Committee dos EUA, ao baixar no dia 22, em 75 pontos-base, a sua taxa de juro de referência, colocou o preço do dólar nos 3,50%. Trichet reafirmou no dia seguinte que a taxa de referência do BCE se manteria nos 4,0%. Mas atenção: os bancos japoneses só emprestam dinheiro barato aos importadores de Toyotas e aos grandes especuladores! Ou seja, quando se regozijam com a recente baixa das taxas de juro americanas, estão apenas a dizer ao mercado que vão poder retomar o ciclo das suas exportações para a maior economia do mundo (que assim se endividará ainda mais!) É também isso que os europeus, no fundo, querem: poder aumentar as suas exportações, insensíveis ao buraco negro da dívida americana.

Os especuladores e os banqueiros falidos querem obviamente mais IOU (I Owe You), e obtiveram-no dos helicópteros de liquidez do BCE, ao mesmo tempo que aguardam ansiosamente os raids de SWF (Sovereign Wealth Funds) lançados pela China e pelos países Árabes sobre as áridas paragens financeiras dos Estados Unidos e da Europa. Só que, apesar deste gigantesca operação de salvamento dos mercados especulativos (com dinheiros públicos!), a crise sistémica está aí e promete fazer mais vítimas. Ontem o terceiro maior banco francês (a Société General) exibiu um buraco negro nas suas contas que dava para construir o Novo Aeroporto de Alcochete; hoje, o BPI, cuja viabilidade parece cada vez mais difícil imaginar fora de um take over por parte da Caixa catalã, ou dos endinheirados angolanos, mostra como a telenovela BCP-BPI está longe do fim!

Resumindo, o dilema é este: se se mantem ou sobe mais as actuais taxas de juros, o crescimento económico europeu tenderá para os 2% ou menos, e não para os almejados 3%, dando lugar à falência de mais algumas centenas de empresas e a dezenas de milhar de novos desempregados, ao mesmo temo que se estimula a valorização do Euro, afectando por aí a competitividade das exportações. Mas se, por outro lado, se baixam as taxas de juro, fomenta-se o endividamento geral da economia (empresas, administrações públicas e famílias), aumentando simultaneamente a inflação, que tornará as exportações ainda menos competitivas. Perante estes dois males, a resposta tem que ser forçosamente a da contenção das despesas, começando por racionalizar a produção, reduzir os desperdícios e aumentar a poupança. Vociferar a favor da irresponsabilidade monetária, quando o próprio Coordenador do Bloco, Francisco Louçã, descobriu finalmente que há uma crise económico-financeira gravíssima no Ocidente, é obra! Joana Amaral Dias parece ter percebido a delicadeza da situação no Frente-a-Frente que hoje manteve com Pedro Ferraz da Costa, antigo presidente da Confederação da Indústria Portuguesa.

Nervosa que nem uma gazela, mas com um domínio crescente das matérias, esta linda política portuguesa parece querer libertar-se das litanias confusas e contraditórias do partido que ainda segue. Notei esta subtileza intelectual no modo como procurou hoje discutir a argumentação do seu quase paternal adversário em volta de temas como o da imigração e do tsunami financeiro em curso. Foi uma pequena delícia para mentes perversas como a minha!

Vou acompanhar mais de perto os seus passos.

OAM 310 24-01-2008, 22:13 (actualização: 12:16)

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Aeroportos 50

Mapa da rede alta Velocidade ferroviária
Rede espanhola Alta Velocidade ferroviária. Falta conhecer o que querem os indecisos lusitanos.

Depois da Ota, em que ficamos?

Um passeio pelo Norte acompanhado de reflexões estratégicas.

Dei a conhecer uma parte do norte do país a uns velhos amigos galegos da Corunha. O primeiro cartão de visita gastronómico, depois das Imperiais e Tapas da praxe no Lais de Guia, uma das melhores esplanadas que conheço para gozar um pôr-de-Sol outonal, foram as Douradas e os Linguados frescos, acompanhados pelo tinto transmontano da Adega Cooperativa de Freixo de Espada à Cinta (Montes Hermos), alegremente consumidos no Salta o Muro, acolhedor, barato e muito estimado restaurante de Matosinhos. Se a ASAE intentar algo de mau contra este exemplar maior do nosso património de hospitalidade e bem confraternizar sob os auspícios de Baco, contem comigo para umas pauladas no fumador do Casino da tríade!

Um passeio a pé pela avenida da praia, espreitando as obras e os preços dos apartamentos à venda, antecedeu o percurso automóvel pela marginal Norte da foz do rio Douro até ao remodelado cais de Gaia, que viria a encerrar com chave de ouro uma manhã surpreendente.

Seguimos depois para Cinfães do Douro pela velha estrada marginal, cheia de curvas e aceleras malucos, mas belíssima como dantes. Pena foram os desvios forçados e sem aviso pelas obras que ainda decorrem à volta das duas novas pontes de Entre-os-Rios. Como sempre, a sinalização ausente permanece uma marca distintiva dos idiotas que pontificam nas Estradas de Portugal e um típico sinal de indolência da maioria dos autarcas. Enfim, por entre buracos e curvas apertadas, lá chegámos à Casa do Lódão, situada numa pequeníssima e muito antiga aldeia chamada Boassas, a meio caminho entre Porto Antigo e a vila de Cinfães. Um dos bons projectos de turismo rural da região, como que anunciando uma vocação em pleno desenvolvimento, de que há que destacar a Estalagem Porto Antigo, a Quinta de Ventuzela e o futuro Douro Palace Hotel em Santa Cruz do Douro, Baião. Chegámos já ao fim da tarde. Inspeccionámos a casa de caseiros remodelada onde iríamos passar duas noites e duas manhãs, o jardim, a quinta e as soberbas vistas sobre o rio Bestança, um dos poucos que até hoje sobreviveu à voragem hídrica do país.

O jantar no restaurante O Meu Gatinho, situado na horrenda zona nova da vila de Cinfães (só lá vou à noite!), faria as honras de encerrar o primeiro dia desta escapadela por entre terras do Douro Litoral e Vinhateiro. Pataniscas de bacalhau para acompanhar as clássicas Imperiais de abertura. Enquanto esperávamos pelo Polvo à Lagareiro e pelos Nacos e Postas de Vitela Arouquesa, abriram-se e puseram-se a arejar duas garrafas de tinto Churchill Estates 2004, enquanto íamos elogiando o Grande Porto, sobretudo a sua nova rede de metro (com estações desenhadas por Eduardo Souto Moura) e o remodelado Aeroporto Sá Carneiro (3.986.748 passageiros em 2007), a robustez da respectiva estrutura urbana, o Funicular dos Guindais e os novos ícones arquitectónicos da cidade: Casa da Música (Rem Koolhaas), Museu de Serralves (Siza Vieira), a Torre Burgo (Eduardo Souto Moura). A Mousse de Limão e um fofinho bolo de chocolate muito húmido fizeram ainda companhia ao Churchill que resistiu durante toda a degustação, apesar do depósito algo irritante detectado numa das garrafas. Claro que o café, num tão fino e inesperado restaurante, só poderia ser bom e adequadamente tirado. Pedi duas Italianas rigorosamente curtas. Souberam-me pela vida. Como sempre faço, reservei meio copo de tinto para o fecho definitivo do pequeno banquete. Resistiu!

O dia seguinte foi dedicado a uma visita à Quinta de Ventozelo, em São João da Pesqueira, responsável pela produção de dois notáveis Vinhos do Porto, o Tawny Reserva e o Vintage, além de um dos meus vinhos correntes, o tinto Cister da Ribeira, e do recomendado tinto Vinzelo 2005, que mereceu em 2007, tal como o Churchill bebido na noite anterior, uma merecida recomendação "TOP VALUE" do Wine Spectator. Um 4R levou-nos pelos estreitos socalcos das vinhas, feitos do interminável xisto da região. A paisagem, sobretudo no Inverno, quando as plantas despidas deixam ver as cicatrizes do labor humano naqueles solos montanhoso, é impressionante. Com imenso respeito acedemos aos lagares onde as uvas são pisadas, primeiro por homens, e depois por mulheres, durante três dias seguidos. Nada de "Robots"! Que os há para este efeito, mas ainda sem a fina sensibilidade das palmas dos pés humanos, que detectam a mais pequena grainha e aliviam instantaneamente a pressão da pisa, evitando que o esmagamento das sementes aumente desnecessariamente o tanino do vinho. No gabinete de prova, onde centenas de copos com anotações se arrumam por prateleiras e por um balcão em L, fomos convidados a provar quatro tintos: Vinzelo 2005, Cister da Ribeira, Quinta de Ventozelo DOC 2000 e o monovarietal Touriga Nacional. Seguimos depois para a adega onde se envelhecem os Portos. Provámos o Ruby Reserva, o Tawny Reserva, o Late Bottled Vintage (LBV) e o Vintage, ouvindo atentamente as explicações da responsável pelas relações públicas da quinta. Com calma e muito agradecimento, depois de adquiridas algumas garrafas, partimos para um almoço na Casa Regional O Forno, em São João da Pesqueira. Alheiras tradicionais com grelos, cabrito, anho, arroz de forno e vinho da região, mais águas, leite-creme e cafés deixaram-nos arrumados para a viagem de regresso a Cinfães.

A manhã do dia seguinte serviu para passeios e visitas locais, ao Penedo de São João, às campas neolíticas a céu aberto, e a algumas quintas particulares. Durante estes passeios falou-se do Noroeste peninsular: a Galiza e o Norte de Portugal somam mais de 7,7 milhões de habitantes, i.e. uma inter-região bem maior e mais populosa do que a Catalunha!

Os aeroportos galegos têm (não havia pensado nisso) um inconveniente: servem cidades que não chegam a ter, nenhuma delas, 1/3 da população do Grande Porto, e a maioria das ligações destinam-se a cidades espanholas, pelo que exceptuando as Low Cost e uma ou outra companhia de bandeira estrangeira, os voos internacionais são monopolizados e centralizados pela Ibéria, e os que interessam à Galiza passam todos pelo hub de Madrid!

Ou seja, com as actuais vias rápidas rodoviárias e as prioridades já assentes na prossecução dos projectos da Alta Velocidade ferroviária (Ferrol - Corunha - Santiago - Vigo; Corunha - Lugo - Ourense - Vigo; Vigo - Viana do Castelo - Porto), o Porto-região, com o seu aeroporto a crescer a 17,2% ao ano, está a tornar-se na grande plataforma da mobilidade rápida e pólo económico e cosmopolita do Noroeste peninsular! A ligação ferroviária de Velocidade Elevada, para passageiros e mercadorias, entre Vigo e Porto, é pois a mais importante prioridade estratégica para o desenvolvimento do Norte do país e da própria Galiza, dando de barato que o aeroporto Sá Carneiro irá conseguir tirar todo o partido das suas extraordinárias potencialidades.

A este respeito, duas reivindicações parecem lógicas, à vista, e inteiramente justas:
  1. a redefinição das funções da ANA (separar o controlo aéreo e navegação, da administração aeroportuária) e a partição da ANA-aeroportos em três entidades autónomas (Algarve; Alentejo, Lisboa, Centro e Ilhas; e Porto-Norte)
  2. a expansão do Taxiway do aeroporto Sá Carneiro, por forma a permitir mais movimentos do que actualmente; e a instalação do necessário equipamento de ajuda à aproximação às pistas, ainda escandalosamente em falta (ILS).
Voltámos ao Porto a tempo de assistir ao espectáculo de Mafalda Arnauth, na Casa da Música. Fui esmagado por uma voz que não conhecia e por uma performance genial. No fim, trauteou-se Lisboa com humor, depois de termos ouvido Mafalda Arnauth cantar o fado e o amor com absoluta qualidade e maioridade cultural.

Regressei à capital. Alcochete é porventura a única resposta à altura do desafio criado pelas Low Cost no Porto e pela lógica ponto-a-ponto intercontinental a introduzir brevemente pelas actuais companhias Low Cost com o novo Boeing 787 Dreamliner. O desafio é também, necessariamente, ibérico: Lisboa, Madrid, Porto e Barcelona serão, se não formos burros, as quatro grandes plataformas aeroportuárias da Península. Faz sentido um novo e grande aeroporto vocacionado para o Atlântico, para a África e para a Ásia, especializados em ligações ponto-a-ponto? Se o pico petrolífero assim o permitir (o que duvido), sim! Mas até que tal sonho tenha pernas para andar, seria uma estupidez fechar a janela de oportunidade que as Low Cost estão dispostas a abrir desde já na capital do país. A recomendação continua pois a ser a mesma de há muito: reformar a Portela com pés e cabeça; activar o Montijo com custos mínimos se for preciso reforçar a Portela antes de 2013; e finalmente avançar com a opção do Campo de Tiro de Alcochete se o impacto da crise energética não tiver entretanto forçado a pensar noutros paradigmas de transporte e mobilidade.

Mas a par da correcção da actual política aérea, teremos que não perder um minuto na redefinição estratégica do modo de transporte ferroviário (1) para pessoas e mercadorias, nem na salvaguarda e adaptação agressiva dos portos de mar aos tremendos desafios que aí vêm. A multimodalidade e o espírito de rede (de redes fluídas não hierarquizadas, ou seja, o contrário da filosofia centralista dos hubs) é o segredo da competitividade futura. Quanto às estradas, há que reduzir os investimentos ao estritamente necessário: ligação Lisboa-Beja-Sevilha, e pouco mais (fazendo de vez frente ao pouco sofisticado e chulo lóbi da rodovia).

Uma nota final sobre as compensações à zona do Oeste. Basta olhar para o mapa da Alta Velocidade/Velocidade Elevada, para o mapa dos Itinerários Principais rodoviários e para a pujança do desenvolvimento na Ria de Aveiro (por contraposição à estagnação burocrática de Coimbra) para decidir sem hesitação onde deverá nascer um aeroporto de apoio à região e complementar dos aeroportos internacionais de Lisboa e Porto: Aveiro! Não se perca tempo e avance-se rapidamente e em força para uma pista com 3600 metros de comprimento e 60 metros de largura no lugar onde o futuro AVE Aveiro-Salamanca ancorar a sua estação.



NOTAS
  1. Mas para isto é preciso refundar a REFER e prender alguns ladrões! Alfobre de financiamentos partidários escandalosos camuflados e nunca investigados a sério, antro de roubalheira e incompetência sem fim, esta empresa pública só poderá cumprir os exigentes desafios que tem pela frente se for objecto de atenção pública minuciosa e exigente. Estações como as de Castanheira do Ribatejo (às moscas), ou Braga: vinte milhões de contos enterrados num beco sem saída, incapaz de se ligar ao AVE que virá de Vigo, já para não voltar às enormidades feitas na Linha do Norte, são alguns dos exemplos de bradar aos céus que não podem voltar a repetir-se. Caro dromedário-mor do reino, estaremos muito atentos!!

OAM 309 23-01-2008, 03:05 (actualização 11:52)

terça-feira, janeiro 22, 2008

Crise Global 9

Distribuição da Liquidez financeira mundial
Distribuição da Liquidez financeira mundial

Estilhaços da Globalização
"Over the past five years, the US borrowed more money from the rest of the world than it did in its entire history from 1776 to 2000." -- San Francisco Chronicle -- 27/11/2005.

"... aconselha-se vivamente muito cuidado na tomada de decisões de investimento de médio e longo prazo. O mais provável é que bens como a terra fértil e as zonas habitacionais próximas dos nós de comunicações se venham a valorizar tremendamente nos próximos anos. Para já, o investimento em metais preciosos (como o ouro e a prata) são bem mais seguros do que quaisquer aplicações financeiras e planos de poupança/reforma e seguros de saúde. O mesmo ocorrerá infelizmente com todos os bens e serviços associados a emergências bélicas, sanitárias e sociais decorrentes do previsível agravamento da presente crise mundial. Num cenário de catástrofe financeira mundial, é de prever a falência de centenas de bancos e sociedades de investimento, já para não falar da falência de algumas dezenas de Estados (congelamentos de salários e pensões de reforma, despedimentos nas administrações públicas, subidas vertiginosas de impostos, derivas nacionalistas, etc.) Se a crise vier a ocorrer, como se teme, não será fácil evitar o pânico." -- in O António Maria, 02-03-2006.

A primeira decisão acertada a tomar, se quisermos acompanhar a evolução turbulenta da economia política mundial, é fugir da imprensa económica portuguesa, como o Diabo foge da cruz! A razão é simples: não acertam uma, e o discurso que debitam não passa, quase sempre, de lições previamente ensaboadas por quem lhes paga ou promete futuros risonhos, em nome de uma "respeitável responsabilidade" -- quer dizer, em nome das cortinas de fumo que sistematicamente lançam sobre os seus incautos leitores. O grave é que muitos deles perderam centenas, milhares e mesmo milhões de euros por causa das ilusões assim bebidas.

Ainda hoje ouvi um leviano, cujo nome nem pretendi conhecer, proclamar alegremente que os Estados Unidos da América, dada a sua enorme flexibilidade, por exemplo em matéria de despedimentos, iriam debelar as presentes dificuldades com uma perna às costas! Como é possível deixar imbecis deste quilate disseminarem tamanhas enormidades através da televisão?! Das duas uma: ou os directores andam a dormir (e devem ser despedidos), ou então, e neste caso a coisa agrava-se, o embuste opinativo é propositado (em linha com o alerta anti-terrorista lançado no Domingo passado), não passando assim de uma das muitas manobras de diversão mediática arquitectadas pela fileira mais canina do regime socratintas. Não será seguramente assim que evitarão a cisão em curso no Partido Socialista, a que se seguirá uma partição igualmente importante nas fileiras do PPD-PSD. Mas esta é outra história, que fica para mais tarde.

As acções cairam ontem (21-01-2008) à volta de 7% na média dos mercados mundiais. O Japão continuou a tombar a pique, arrastado pela estratégia correctiva da China. Os Estados Unidos fecharam hoje uma vez mais no vermelho, com 11.971,19 pontos (-128,11), a Europa andou em terreno positivo tipicamente especulativo -- DJ STOXX 50 = +62,26 (3.200,74 pontos) --, apostando na expectativa de mais um corte no preço do dinheiro por parte da administração Bush poder vir a mitigar o forte impacto negativo da desvalorização do dólar, e da recessão já instalada na economia americana, nas exportações europeias para aquela que ainda é a maior economia do mundo, embora a mais, e mais perigosamente, endividada de todas!

Entretanto a Reserva Federal americana resolveu hoje, num movimento imprevisto, proceder a um corte de emergência de 0,75% na sua taxa de referência (ler notícia em Market Watch), passando-a de 4,25% para 3,50%. A Reserva Federal baixou ainda a taxa de desconto em 75 pontos-base, para 4%. Foi a maior baixa instantânea no preço do dinheiro desde 1982! A resposta a esta decisão drástica, que poderá ainda dar origem a um novo saldo (de 0,50%, antes do fim deste mês), foi imediata por parte do Japão, cujas bolsas inverteram a tendência de queda abrupta que estavam a sofrer, e também na Europa, que conseguiu fechar em terreno positivo.

A crise actualmente em curso não é uma crise conjuntural, mas sistémica. Os Estados Unidos estão numa situação há muito insustentável, cujo agravamento previsível deriva directamente da circunstância de os principais países detentores de energia, de matérias primas, de ouro e/ou de vastos fundos soberanos (SWF), não estarem mais na disposição de (ou não poderem) continuar a alimentar um país viciado no consumo irresponsável e na acumulação infinita de dívidas. Ao contrário de outras épocas, por exemplo quando alguns países europeus (Reino Unido, França, Bélgica, Portugal, etc.) mitigavam as suas falhas de liquidez intensificando os respectivos processos coloniais, os Estados Unidos não têm já poder suficiente para impor ao resto mundo o agressivo desenvolvimento desigual com que ainda sonham. O fracasso das guerras de ocupação e espoliação do Afeganistão e do Iraque, a par da emergência militar da China, e sobretudo da re-emergência nuclear estratégica da Rússia, vieram colocar uma barreira virtualmente intransponível aos piratas que há quase oito anos ocupam a Casa Branca.

Nesta conjuntura, a Europa encontra-se perante uma encruzilhada perigosa. Se for capaz de fortalecer a União em direcção à Turquia e à Rússia, poderá transformar-se no verdadeiro Joker da paz mundial. Se, pelo contrário, se deixar levar pela perfídia estratégica inglesa, ou não souber controlar o garnisé de Paris, corre o risco de ver o Tratado de Lisboa rasgado por um qualquer quarteto de conveniências, aventureiro e destinado a conduzir-nos para mais uma tragédia mundial.

A globalização sob a batuta ocidental acabou! A substitui-la, teremos ou uma nova espécie de globalização multipolar (sem FMI, nem Banco Mundial, nem OMC), ou o regresso dramático, porventura violento, ao isolacionismo e ao proteccionismo. Que tudo isto pesará na evolução económica e política de Portugal, não tenho a menor dúvida. Chegou o tempo de nos prepararmos para o futuro incerto que nos espera.

Actualização (23-01-2008 12:10): As bolsas europeias caiem fortemente depois de o BCE ter anunciado que não iria atrás do FED, mantendo assim o actual preço do dinheiro europeu, e dando prioridade ao controlo da inflação (Bloomberg e BBC News). Os Estados Unidos parecem estar sem alternativa ao aumento imparável do dinheiro fácil, da inflação e das suas dívidas. Os prognósticos continuam a ser pessimistas!

OAM 308 22-01-2008, 23:09 (actualizado em 23-01-2008 12:10)

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Arquivo 2007-2008

Notícias seleccionadas e comentadas
por ordem cronológica: Junho 2007-Abril 2008

  • Liberais versus reedição do Bloco Central

    01-05-2008. "Se pegarmos num responsável empresarial só porque é sério ou porque tem ar de mau e o transformarmos" em presidente executivo ou presidente do conselho de administração, "o que é que acontece? Daqui a um ano está falida" -- Mira Amaral e Passos Coelho criticam política financeira de Ferreira Leite, Público.

    COMENTÁRIO: Manuela Ferreira Leite é a candidata do impasse, apoiada por todo o Bloco Central. No entanto, esta agremiação endogâmica de interesses já não existe! A não ser dispersa pelos conselhos de administração das empresas públicas e privadas por onde se foram enfiando ao longo da última década, e mais apressadamente desde que se percebeu que o actual cartel político-partidário começara a perder a sua aderência democrática. Ferreira do Amaral, Pina Moura, António Vitorino e Jorge Coelho, entre muitos outros, são o exemplo vivo da dispersão do até agora indisputável e escandalosamente lucrativo Bloco Central. O PPD-PSD e o PS foram literalmente comidos por dentro, tendo ambos servido de escada e almofada protectora de uma nomenclatura indecorosa, irresponsável, corrupta, sem um mínimo de visão estratégica para o país e completamente nas tintas para a sorte e a qualidade de vida dos seus compatriotas. É uma canalha que deve desaparecer! O PPD-PSD e o PS são hoje aparelhos esquálidos com pouca ou nenhuma capacidade de auto-regeneração. Estão basicamente assustados. E é por isto que só no contexto de uma mudança profunda do actual regime político-partidário e parlamentar, haverá esperança. Para isso, é preciso separar os populistas dos liberais dentro do PPD-PSD, e é preciso, depois, separar os sociais-democratas dos neo-liberais do PS. Por menos do que uma separação clara de águas com esta dimensão não iremos a lado nenhum. Pelo contar das espingardas, diria que Pedro Passos Coelho se tem vindo a afirmar (contra as minhas expectativas iniciais) como o protagonista de um possível futuro partido liberal com pés e cabeça. Falta, porém, o protagonista do futuro partido populista! Pedro Santana Lopes, ou Alberto João Jardim? Creio que o experiente demagogo da Madeira faria melhor! Quanto a Manuela Ferreira Leite, é mais uma figura para arder no fogo da cisão inevitável do PPD-PSD.

  • Ug99 - novo código da fome


    Depois da hiper-inflação dos combustíveis, do milho americano e europeu, que está a ser criminosamente desviado para a produção de etanol, e do arroz, vem aí a escassez, o racionamento e a hiper-inflação do pão! Desta vez causada pela devastação sem precedentes das ceifas de trigo no continente africano, onde as perdas se cifram já na ordem dos 70%!

    David Kotok, da Cumberland Advisor, afirmou que o fungo Puccinia graminis, identificado pela primeira vez no Uganda (daí o seu nome-código Ug99), é uma verdadeira pandemia africana, já chegou ao Irão e continua a expandir-se! Onde ataca esta ferrugem negra pode dizimar 100% das sementeiras. A peste conhecida por Ug99, ou ferrugem negra do trigo, é um fungo mutante e causou já prejuízos de milhares de milhões de dólares. Um ciclo global de lutas sociais desesperadas pelo pão e pelo arroz, causado pela escassez destes alimentos básicos, pela hiper-inflação dos combustíveis e pela especulação financeira mundial, não só começou, como irá progredir numa escalada trágica sem precedentes. Entretanto, a SIDA e o H5N1 progridem tranquilamente em muitas zonas do planeta. O tempo da propaganda barata acabou! Ler Elaine Meinel Supkis, Ug99 Spread Across Planet While US Government Fiddles

  • Nó de Alcântara: Mário Lino corrige propaganda

    28-04-2008 08:32. Novo nó ferroviário amplia capacidade do terminal de contentores de Alcântara e cria ligação directa entre a Linha de Cascais e a Via de Cintura Interna. A medida é em si mesma positiva e deve ser lida como uma resposta construtiva às insistentes críticas, nomeadamente aqui formuladas, ao modelo desconexo, errado e prepotente da reformulação dos sistemas de mobilidade urbana e suburbana da cidade-região de Lisboa. Se esta obra se realizar nos prazos previstos, todos perceberão duas coisas: a importância decisiva que os grandes portos portugueses terão na economia futura do país e da Europa; e o disparate da terceira travessia do Tejo pelo corredor Chelas-Barreiro. Não será necessária nenhuma nova ponte entre a Vasco da Gama e o Atlântico. Quanto muito, faltará fechar o arco poente da CRIL (entre Algés e a Trafaria) com um túnel multimodal para transporte rodoviário e ferroviário (metro, suburbanos), nunca uma nova ponte! Como se explicou já, o TGV deverá circular sobre a actual ponte 25 de Abril, trocando de "sapatos" no Pinhal Novo, desembarcando triunfalmente na Grande Gare da Feira Popular! A isto os anglo-saxões chamam uma win-win situation ;-) Ouvir declaração de Mário Lino à TSF.

  • Ericeira multada pelo Estado por utilizar óleos reciclados em carros do lixo

    27.04.2008 - 17h55 PÚBLICO, com Lusa. A junta de freguesia da Ericeira foi multada em sete mil euros, por utilizar óleos reciclados para mover os carros do lixo, em vez de comprar combustíveis fósseis, pelo que o Estado se considera lesado. O presidente da junta, citado pela TSF, já garantiu que não vai pagar a multa.

    COMENTÁRIO: Só há uma resposta legítima à prepotência política e à corrupção governativa: a desobediência civil. O caso da Ericeira é o paradigma de um dos combates cívicos mais importantes que temos pela frente: impor a democracia participativa, leis justas e a iniciativa cidadã criativa, inteligente, ponderada e solidária, à subordinação dos políticos gananciosos e corruptos (indignos de exercer qualquer função pública) aos interesses corruptores que actualmente os financiam ilegalmente e sufocam criminosamente o país. A desobediência civil e a participação social serão as melhores respostas ao terrorismo fiscal em curso, à nova PIDE dos costumes (ASAE) e à prepotência indecorosa de José Sócrates.

  • Presidente brasileiro defende automóvel movido a cachaça ;-)

    25-04-2008. Lula da Silva: "Terei o maior prazer em apresentar para a União Européia e aos Estados Unidos o primeiro carro verde, cheirando a cachaça, movido a etanol e com plástico produzido do álcool, para eles verem que o etanol veio para ficar." -- in Estadão.

    Os brasileiros contrapõem o seu biocombustível, feito de cachaça, quer dizer, de cana-de-açucar, aos biocombustíveis americano e europeu produzidos a partir de milho subsidiado... e transgénico. O argumentário de Lula sublinha, por outro lado, que a crise alimentar mundial não pode seriamente ser imputada aos biocombustíveis até agora produzidos e oriundos de matérias primas sem incidência directa na produção dos bens alimentares, mas antes de mais, aos efeitos da subida do preço do petróleo dos 30 para os 120 dólares.

    A argumentação brasileira tem algumas defesas sérias que devem ser ponderadas: o uso do bagaço da cana-de-açucar resulta do tratamento útil de resíduos da produção do próprio açucar oriundo da cana. E quando em 2016 o Brasil tiver aumentado em 161% a sua actual produção de etanol, para qualquer coisa como 44 mil milhões de litros de combustível e 500 milhões de toneladas de cana, a superfície empregue no desenvolvimento desta explosiva indústria agro-energética, não representará mais de 2% das terras agrícolas do país. A situação na América, porém, é outra: enquanto o preço da propriedade urbana cai aos trambolhões, sobem em flecha os preços das propriedades agrícolas adequados ao crescimento de milho transgénico para produção de etanol. Na Europa, e sobretudo em países exíguos geograficamente, como Portugal, o uso das terras aráveis para produção de biocombustíveis, sejam de que natureza for, é um crime que deve ser travado imediatamente! Façam-se, como sugere Lula da Silva, parcerias justas e equilibradas entre a Europa e o Brasil, nesta sensível matéria. E aos portugueses, repito a recomendação que venho fazendo há dois anos: não vendam as vossas terras por nenhum preço, e vão comprando as que puderem!

  • Pela primeira vez desde 1945 a América assiste a racionamentos alimentares!

    Wallmart e outras cadeias retalhistas têm vindo a racionar a venda de arroz, óleo e outros bens alimentares, devido à inflação crescente e à escassez dos mesmos, provocadas pela baixa dos stocks alimentares, pela disputa dos cereais para produção de bio-combustíveis, pela queda catastrófica do dólar, pela subida imparável do preço do petróleo, gás natural e outras matérias primas primárias, e finalmente pela desenfreada especulação bolsista em torno dos bens alimentares de primeira necessidade! O Japão interrompeu a importação de arroz para impedir os efeitos nefastos da especulação na produção deste cereal essencial à dieta japonesa, em que é auto-suficiente. O Brasil suspendeu a exportação do mesmo cereal, igualmente para travar a subida dos preços de um alimento imprescindível à dieta dos brasileiros. Só não se percebe porque é que os organismos internacionais não recomendam, e os governos não aplicam a suspensão imediata das transacções especulativas dos bens alimentares nos covis da pirataria financeira mundial, a começar pela bolsa de Wall Street! Os tambores dum holocausto, desta vez Sionista, continuam a rufar no cerco genocida de Gaza e ameaçam pegar fogo ao rastilho de uma III Guerra Mundial. Temos que acordar!

  • Espanha: superavit público reduz-se para menos de metade no fim do primeiro trimestre de 2008

    23-04-2008 16:24. O superavit do Estado espanhol foi até Março, de 3.276 milhões de euros (0,29% do PIB), comparando com um valor de 6.747 milhões obtido no mesmo período de 2007. Esta descida de 51,4% é o reflexo evidente dos efeitos da crise imobiliária aqui anunciada há mais de seis meses. Estes dados negativos, somados ao montante da devolução aos contribuintes espanhóis de 400 euros do IRPF de 2007 (o nosso IRS), representará seguramente um pequeno grande abalo na proverbial saúde das contas do Orçamento de Estado do reino vizinho. Tomáramos nós! -- Ler notícia no El País.

  • Manuela Ferreira Leite, próxima líder do PSD

    22-04-2008 - Manuela Ferreira Leite: "Considerando a demissão do presidente do PSD (Luís Filipe Menezes) e a crise aberta no partido, informo os militantes e os portugueses da minha decisão de me candidatar à presidência do PSD".

    Perante a reafirmação de desistência de Luís Filipe Menezes, e face às candidaturas anémicas até agora anunciadas, a decisão da antiga ministra das finanças ganha, afinal de contas, sentido. É o último fôlego do PPD-PSD no seu tradicional figurino. Se fracassar, a ruptura em dois do PPD/PSD será inevitável e bem-vinda!

  • A tríade de Macau ... mise à nue par ces célibataires, mème!


    21-04-2008 14:28. Expresso: "Bernardino Soares afirma que a situação de Vitalino Canas, também porta-voz do PS, 'não está conforme com a lei e tem que ser corrigida'.

    "O deputado comunista afirmou que Vitalino, enquanto provedor das empresas de trabalho temporário, em nome de instituições privadas, está a negociar com organismos do Estado, como a secretaria de Estado das Comunidades e Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)."

    COMENTÁRIO: O facto de Maria José Morgado ter anunciado a formação de uma rede cidadã de especialistas empenhada na compilação de dados e no estudo de informação relacionada com a corrupção e o tráfico (obviamente ilegal) de influências é uma excelente notícia, e mostra como a democracia virtual está a fazer o seu caminho, nomeadamente por intermédio da blogosfera (veja-se como o terrorismo virtual do Abrupto atingiu em cheio o porta-aviões do PPD-PSD!)

    O aflito jardim da Madeira, entre outros, vão começar uma correria à procura de legitimação das suas pequenas e grandes patifarias. Os coelhos e outros animais de estimação do fantástico jardim zoológico da politocracia Lusitana irão optar rapidamente entre as realidades incompatíveis que até agora têm "gerido" a seu favor e de quem deles espera uma boa "gestão". Não sei porém porque carga de água devem ficar isentos de inquérito aos seus pequenos covis empresariais..., quando o terrorismo fiscal continua a ceifar alegremente o nosso tecido industrial e comercial!

    Mas atenção: é preciso começar a apontar rápida e directamente as baterias contra os lóbis do betão e os oligopólios que mandam nos sistemas de transportes e energia do país: NAER, ANA, RAVE, REFER, REN e EDP. São os maiores entraves ao nosso desenvolvimento. Os políticos corruptos são meros moços de fretes destes mamutes de incompetência!

  • Espanha: um governo de amazonas!


    19-04-2008. Carme Chacon, mulher, grávida, catalã e primeira ministra espanhola da defesa, pôs as tropas do reino em sentido e gritou: ¡Viva España, Viva el Rey!. Um sinal positivo dos tempos. A maioria dos membros do actual governo espanhol, liderado pelo socialista José Luiz Rodríguez Zapatero, são mulheres. Os machistas políticos do pequeno Portugal, que meditem um pouco na lição dada pelos nossos queridos e ambiciosos vizinhos. - Ver vídeo.

  • Resposta popular chinesa às provocações da CIA/MI6 (via Dalai Lama)


    19-04-2008 14:33. Manifestações anti-francesas em várias cidades chinesas (Pequim, Wuhan, Hefei, Kunmin, Qingdao) por causa da tentativa de boicote das próximas Olímpiadas, enfatizada em Paris com o ataque à tocha olímpica. A cadeia Carrefour foi um dos alvos privilegiados pelas manifestações. O garnizé proto-Sionista de Paris deve estar neste momento com as orelhas a arder. Ou nem tanto, pois não passa de um imbecil. - Ler notícia na BBC News.

    Entretanto no Canadá, os chefes das nações nativas daquele país anunciaram que as Olimpíadas de Inverno, a realizar em Vancouver em 2010, serão alvo potencial das suas reivindicações. Phil Fontaine, chefe nacional da Assembly of First Nations, afirmou que os milhares de canadianos que marcharam em apoio ao Tibete deveriam ficar ultrajados pelas indescritíveis condições de vida dos povos indígenas do seu próprio país. Imagine-se o que seria se os índios dos Estados Unidos começassem também a engrossar os seus invariavelmente abafados protestos, aproveitando a boleia do patético Dalai Lama. - Ler notícia original no The Star.

  • Off-Shores: Governo confirma existência de aplicações de organismos da administração indirecta do Estado.

    18 de Abril de 2008, 23:56 (Lusa) - "O Governo assegurou hoje que não existem aplicações financeiras de organismos da administração directa do Estado em territórios "off-shore", embora o Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social tenha aplicações legais de 42 milhões de euros." Segundo o governo, estes 42 milhões correspondem apenas a 0,6 por cento do montante global do Fundo.

    Quais são então as outras "entidades da administração indirecta do Estado" que efectuam pontualmente, com base em critérios orientados para a maximização do retorno de fundos públicos sob sua gestão e no respeito integral da lei (diz o governo), aplicações em valores emitidos por entidades financeiras nacionais e internacionais através desses territórios"?

    Ainda segundo o despacho da agência de notícias oficial do Estado, Lusa, "De acordo com as estatísticas, cuja metodologia de cálculo "não permite a individualização das entidades envolvidas", os activos financeiros das administrações públicas do Estado em territórios "off-shore" ascendiam, em 2006, aos 178 milhões de euros, o que corresponde a 6,1 por cento dos activos financeiros das administrações públicas sediados do exterior.
    Em 2001 e 2002, a percentagem foi maior, respectivamente, 20 por cento (288 milhões de euros) e 23,7 por cento (452 milhões de euros)."

    Esperemos que o colapso em curso da economia especulativa sirva de lição, sobretudo para legislar no sentido de proibir terminantemente o uso de poupanças e outros recursos financeiros entregues pelos cidadãos nacionais a entidades de interesse público em jogos de casino, nomeadamente nas ilhas covis da pirataria financeira mundial sob domínio e protecção da sibilina coroa britânica.

    Banquetear-se com os Fundos Comunitários, vender os anéis de ouro do Banco de Portugal e jogar nos casinos da especulação global com as poupanças dos Portugueses tem sido, como se vê, a especialidade do Bloco Central.

  • 2008: A Grande depressão Americana


    28 milhões de americanos recorrerão em breve à Sopa dos Pobres através de um sistema de senhas que já abrangeu em 2007 26,5 milhões de cidadãos daquela outrora terra de sonho. O número de pobres, muitos deles oriundos duma classe média em regressão (em 2011/2013, segundo o LEAP/E2020, poderão não ultrapassar 25% da população activa, ou seja metade da percentagem actual!), deverá chegar aos 53 milhões em 2010, quando o número de desempregados chegar aos 25 milhões, ou seja, cerca de 20% da população activa dos EUA (estimada em 155 milhões de pessoas). Podemos imaginar a partir destes dados, inacreditáveis há uns anos atrás, as tensões sociais que se perfilam no horizonte político da América. Uma coisa é segura: não faltará carne para os canhões da aterradora minoria de criminosos que tomou de assalto aquele grande e em muitos aspectos adorável país. -- Ler reportagem no The Independent.

  • LIBOR, um índice pouco fiável!

    16-04-2008. "A Associação de Bancos Britânicos (BBA, na sigla em inglês) está revendo seu processo para fixar diariamente a muito acompanhada Libor, a taxa de juro do mercado interbancário londrino, uma referência global para os juros de curto prazo. Em sua edição de hoje, o Wall Street Journal informou que os dados da Libor estão sendo colocados em dúvida desde novembro. A preocupação, prossegue o jornal, é que alguns bancos não querem informar a elevada taxa que estão pagando pelo crédito de curto prazo, porque não querem mostrar ao mercado que estão desesperados por caixa." -- Portal Exame.

  • Bolha Petrolífera: petróleo bruto = $115,21/ Barril

    16-04-2008 19:03. Previsão do preço do barril a 1 ano = $149,77. Mas as previsões continuam a pecar por defeito! Ao contrário da bolha do Subprime e das bolsas especulativas Tutti Frutti dos Mercados de Futuros, a Bolha Petrolífera só rebentará de houver um depressão global!

  • O colapso da globalização especulativa ainda vai no adro!

    16-04-2008. Há por aí no planeta (sobretudo nos Estados Unidos e na Europa) uns 10 biliões (10^12) de US dólares que não valem mais do que as notas do meu Monopólio de infância. Todos os que possuem tais "activos-fantasmas" querem ver-se livres deles, mas não sabem como! Procuram activos de carne e osso onde fundir os seus ficheiros electrónicos desprovidos de qualquer valor, mas este tipo de realidade escapa-se-lhes como enguias. O G7 anda de cabeça perdida e o FMI, tal como o Banco Mundial, estão falidos. Vendem ouro, despedem pessoal, fazem apelos patéticos sobre a trampa que eles próprios criaram, em suma caminham, a par da Reserva Federal americana, para a lata do lixo da história das instituições financeiras do imperialismo saído da segunda guerra mundial. Até que enfim! Entretanto, para sofrermos menos do que o previsível, há que estar atentos e denunciar todas as manobras em curso visando despejar o fardo do colapso nas costas de quem trabalha honestamente. Não devemos confundir a criação de riqueza com as dona-branquices piramidais, com a corrupção dos Estados, nem com a corja que inventou a especulação financeira como estratégia de exploração e expropriação do valor produzido pela maioria da humanidade. OS RICOS QUE PAGUEM A CRISE! -- Ler a propósito o Relatório 24 do GEAB, acabado de sair (disponível apenas para subscritores).

  • 2008, o ano do pico petrolífero na Rússia!.

    16-04-2008. Depois dos Estados Unidos, da Noruega e do Reino Unido, do México e da Venezuela, outras grandes regiões petrolíferas vão chegando ao ponto crítico a partir do qual a produção começa inexoravelmente a decair. O consumo, porém, tem continuado a crescer à escala mundial, tendo chegado já aos 87,2 milhões de barris por dia, com a China a consumir mais 25% em Março deste ano do que no mesmo mês de 2007: 4,1 milhões b/d. Se o mundo fosse beber todo o petróleo de que necessita às anunciadas reservas brasileiras da Bacia de Santos (38 a 41 mil milhões de barris), as mesmas não chegariam a durar ano e meio! E se considerarmos a estimativas das reservas mundiais comprovadas de crude, as quais andarão na ordem dos 1,317 biliões de barris, então pode dizer-se que teríamos petróleo, no máximo (i.e. à razão de 87,2 milhões de b/d), para os próximos 40 anos! O consumo continua, porém, imparável, prevendo-se que atinga os 118 milhões b/d em 2030. Parece que todos queremos comer o último atum e queimar a última gota de petróleo! O fim da era petrolífera chegará infelizmente antes da data prevista... O ano 2030 continua a ser o limite teórico da era moderna e contemporânea! A causa de todas as crises presentes e guerras futuras é pois simples de entender. Leia-se a propósito o excelente artigo de Phil Hart no The Oil Drum, The Scales are Balanced.

  • FMI e Banco Mundial acordam tarde para a crise global em curso.

    15-04-2008. O Banco Mundial alerta para uma crise alimentar de proporções planetárias, com efeitos potencialmente mais devastadores que a própria recessão mundial em perspectiva na sequência do agravamento e alastramento da crise do crédito mal parado da especulação imobiliária (vulgo, Crise do Subprime). No mesmo dia o FMI, organização gémea e dominada pelo mesmo país (os EUA), alertou para o que o seu presidente afirma ser uma crise económico-financeira mais grave do que a própria crise de 1929. As perspectivas para 2009 deterioraram-se, afirma-se no comunicado saído da 17ª reunião do Fundo Monetário Internacional (13-04-2008). Os países mais pobres, com maiores assimetrias regionais e/ou sociais, serão os mais afectados, e onde se esperam revoltas violentas pelo pão e pela gasolina. Nada que não tivesse sido previsto a tempo e horas pelos mais diversos estudos e avisos lançados ao longo da última década. O que agora parece ser um comboio descarrilado tem certamente mais do que uma causa. O entusiasmo especulativo pelo fim das barreiras alfandegárias e pela globalização, a desregulamentação do sector financeiro e a protecção dada até agora aos paraísos fiscais, a destruição das redes de protecção social, a aplicação do liberalismo sem freio em domínios estratégicos como a energia, a alimentação, os minérios, os mares e a água, os atentados permanentes aos equilíbrios ecológicos locais, regionais e globais, e ainda a promoção irresponsável do individualismo e do consumismo paranoico, são alguns dos pecados mortais da nossa civilização, que só um improvável bom-senso ou uma revolução radical de contornos ainda desconhecidos, poderá sustar. Ver notícia no China View.

    Enquanto estes sintomas de uma enorme gravidade se desenrolam diante dos nossos olhos, os irresponsáveis do desgoverno lusitano e o mimado e lautamente pago governador do Banco de Portugal (cujas únicas actividades conhecidas são as de vender o ouro acumulado durante a ditadura e fechar os olhos à corrupção que campeia no sector financeiro e bancário português) discutem alegremente a fiabilidade das previsões do FMI sobre Portugal! Se não fosse assim como poderiam justificar os grandes projectos de betão que se preparam para lançar sobre as costas e os bolsos do incauto Zé Povinho? Façam as contas ao impacto sobre o nosso subdesenvolvimento real das rendas actualmente pagas à pandilha do betão, e das que se seguirão, se deixarmos a tríade de Macau à vontade, e depois digam-me se não é absolutamente urgente travar os piratas que tomaram de assalto o nosso país. O PSD que se apresse, com ou sem Menezes! O PS que pense bem nos custos de continuar atado como está pela tríade de piratas que tomou conta da sua energia e da sua alma. Precisamos de novos partidos parlamentares antes de 2009! Precisamos de quebrar a espinha ao corrupto Bloco Central antes que seja tarde demais!!

  • A "peste negra" do colapso financeiro mundial

    13-04-2008. Uma quebra na ordem dos 5% (esperada pelos especialistas) no covil de 500 biliões de dólares (500.000.000.000.000) do Mercado de Derivados, significa uma secagem monetária da ordem dos 25 biliões de USD, 8 vezes mais do que o deserto de liquidez induzido a partir da crise do Subprime! Será a primeira Depressão Global da História e dezenas, se não mesmo centenas de instituições financeiras diversas, bancos incluídos, irão à falência. Entretanto, ou seja, até que a "peste negra" financeira atinja o seu cume deletério, teremos: inflação imparável, falência acelerada das classes proletárias e médias e uma gravíssima crise nos sistemas públicos e privados de salvaguarda social. Não estranhem pois ver os políticos mais bem informados a fugirem como ratos para os refúgios aparentemente mais seguros da economia.
    Sobre este tema vale a pena ler o desassombrado artigo do antigo embaixador australiano na União Europeia, James Cumes, e aplicar mutatis mutandis o raciocínio à bela praia lusitana, desgovernada por uma pandilha de piratas sem vergonha.

    "Rational economics based on real investment, productivity and production died in favor of speculative and often Ponzi pretensions. The cowboy junk-bond merchants of the 1980s metamorphosed into respectable, mostly young and usually idolized financial wizards who "perfected" sophisticated, highly complex credit devices. From the 1990s, these highly leveraged instruments took the form of derivatives, private-equity, hedge-fund and mortgage securities, abbreviated to CDOs, SIVs and the rest. Allied with "free" markets, deregulation and the uninhibited flow of all kinds of finance, those financial devices destroyed industries and the jobs that go with them. With casual indifference, they also destroyed the self-reliant working and middle classes until then typical of robust free-enterprise economies.

    ... the Ponzi scheme to shame all others may yet be waiting to deliver its coup de grace. One commentator has drawn attention to "the bad news [which] is the US$500 trillion derivatives market". He says that "This is an area that the general public does not even know exists. Few professionals understand this market. There is no regulation as government just let it go ... and go it did. You must expect a 5% default problem. That is a $25 trillion number ... It can create insolvent institutions all over the world ... It is the making of the first global depression. The world is not ready." -- The Black Death of financial collapse, By James Cumes.

  • Primeiro comboio chinês de alta velocidade


    12-04-2008. Com a série CRH (China Railway High-speed), apresentada ontem publicamente, a China entra no restrito clube dos fabricantes de comboios de alta velocidade (Alemanha, França, Japão e... China.) Não teremos que esperar uma década para que aviões concorrentes da Airbus e da Boeing (abraços com um Dreamliner de fibra de carbono mal preparado para as tempestades eléctricas!) surjam com a marca Made in China. Só então é que Portugal poderá reforçar seriamente os seus planos ferroviários e aeronáuticos de médio e longo prazo. A diplomacia portuguesa tem aconselhado bem o governo português, induzindo-o a não provocar desnecessariamente os nossos amigos chineses. Nem tudo corre mal, portanto, neste jardim à beira-mar plantado. Ler notícia no Nouvel Obs.com

  • Arroz sobe 70% em 2007!


    11-04-2008. Enquanto os preços do trigo da soja e do milho atingem máximos históricos, o alimento básico de 3 mil milhões de pessoas (e meu preferido, como bom português nascido em Macau e filho de nortenhos) está a levar o mundo para uma crise alimentar e social sem precedentes (ver informe da FAO). O incremento exponencial do consumo, a diminuição das áreas de cultivo a favor de pastagens para o gado bovino e suíno que alimenta as preferências das novas classes médias chinesa e indiana, a diminuição alarmante dos stocks mundiais do arroz, as quebras de produção provocadas por crises climatéricas agudas (cheias na Indonésia e no Bangladesh, e baixas temperaturas nos arrozais da China e do Vietnam), e ainda o deslizamento da especulação financeira mundial para o sector dos recursos energéticos, minerais e alimentares (commodities), são alguns dos indicadores dos efeitos há muito anunciados (Relatório de Roma, 1972) da previsível crise do crescimento exponencial desencadeado pela humanidade há duzentos anos atrás com o início da Revolução Industrial e do Conhecimento. A actual crise energética, estruturalmente ligada à conjunção da exaustão acelerada do petróleo leve e da sua acelerada procura por novos e avassaladores actores geo-estratégicos mundiais (China, India, Países Árabes, Rússia, Brasil, etc.), a que se somam previsões demográficas insustentáveis para o fim deste século (9,5 mil milhões de almas humanas!) e uma inflação generalizada dos preços das matérias-primas e dos recursos alimentares, confluem a um ritmo dramático para o cada vez mais inevitável descarrilamento do paradigma civilizacional do Ocidente, inventado e desenvolvido pela Europa (e mais tarde acelerado pelos EUA), mas que jamais se poderá generalizar à escala planetária, pelos menos com a sua actual carga demográfica...
    Ler notícia na BBC News.

  • Inflação asiática ameaça consumismo americano e europeu

    08-04-2008. Quase 50% das importações dos EUA provêm da Ásia. E na Ásia os preços começaram a subir, nalguns casos vertiginosamente, seja por causa da corrida petrolífera, da escassez de outros recursos, nomeadamente minerais e alimentares, ou por efeito da melhoria relativa dos níveis económicos-sociais dos respectivos países e a consequente inflação dos salários. O Ocidente norte-americano e europeu tem aqui uma excelente oportunidade para corrigir o seu patético consumismo.

  • FMI vende ouro para sobrevier


    08-04-2008. Já se sabia que o FMI e o Banco Mundial, duas instituições paradigmáticas da supremacia americana do pós-guerra e que marcaram dramaticamente o curso do imperialismo americano no planeta, estão virtualmente falidas e completamente incapazes de prosseguirem o seu curso de prestamistas leoninos junto dos países economicamente débeis. Estes, na realidade, têm recorrido crescentemente aos fundos monetários das economias emergentes com grandes saldos positivos nas suas balanças comerciais e gigantescos fundos de liquidez soberana (com particular destaque para a China), por forma a acorrer às suas dificuldades económicas decorrentes da emergência energética, financeira e alimentar que não cessa de agravar-se. A venda 12,97 milhões de onças de ouro (equivalente a 6 mil milhões de USD) por parte do famigerado FMI é, pese a retórica oficial utilizada, o sinal inequívoco do declínio acelerado da hegemonia dos EUA no mundo. Paz à sua alma e atenção aos perigos daí decorrentes! Entretanto, o carrocel petrolífero continua imparável.

  • Yuan substitui o dólar na Ásia

    05-04-2008. Depois do Irão ter decidido descolar o preço do seu petróleo do dólar americano, provocando com isso a ira e as ameaças de ataque nuclear por parte da pandilha da Casa Branca (recordando subliminarmente que fora por causa disso que invadiram e ocuparam o Iraque, enforcando pelo caminho Saddam Hussein), eis que Hu Jintao inicia um movimento similar, recordando ao aflito Secretário de Estado do Tesouro, Sr. Henry M. Paulson, que a China e a América deverão "partilhar responsabilidades na saúde, estabilização e desenvolvimento da economia mundial". O primeiro passo está dado, e não consta que o imbecil do Bush tenha ameaçado Pequim com bombas, radares, ou sequer sanções. Os estaleiros Cosco Corp (ler notícia no Sea Trade Asia), sediados em Singapura, anunciaram que passariam a facturar em yuans, a moeda chinesa, por causa da imparável desvalorização da moeda americana. Não vai tardar que muitos outros sigam este exemplo, sobretudo depois de Bernanke, o homem da Reserva Federal, avançar com mais uma ou duas reduções do preço do dinheiro para os amigalhaços. Vai ser lindo!

    Como escreve Elaine Meinel Supkis, "After the Taiwanese voters chose to back pro-China candidates, China is now relaxed and ready to start shoving the US out of Asia. The US support of insurrectionists in China [the Dalai Lama has been petted by a series of CIA agents since the first day he came to India] is now motivating China to cut us out of Asia a tad faster. If Taiwan was moving away, they would play it quite differently." -- Money Matters.

  • Dr. Greenspan's Amazing Invisible Thesis

    04-04-2008. Parece que o Dr. Greenspan, um dos responsáveis pelas "teorias" caóticas que conduziram ao colapso actual da economia americana, fez o seu doutoramento num par de meses! Quem o diz é Robert Auerbach no livro a sair em breve com o título Deception and Abuse at the Fed: Henry B. Gonzalez Battles Alan Greenspan's Bank.

    Uma má notícia nunca vem só. Depois do Subprime, temos agora um PHD escrito em cima do joelho e misteriosamente fora de publicação. Vai ser giro comparar este caso com o célebre caso do engenheiro-arquitecto português que um dia chegou a primeiro-ministro depois de uma maratona na Marginal, ao cair exausto no colo de Edite Estrela.

    Percebemos agora porque é que o copinho de leite que governa o Banco vazio de Portugal ganha mais do que o ex-presidente da Reserva Federal americana, o grande covil dos piratas financeiros da América!

  • Globalização e desregulação dos mercados financeiros, um cocktail que explodiu e se transforma agora num campo de batalha legislativo no seio do Congresso dos EUA

    Os piratas de Wall Street (J.P.Morgan, Goldman Sachs, Lehman Brothers, etc.) estão a ser socorridos com o dinheiro dos contribuintes de todo o mundo e com as falências de quem não pode recorrer ao saco sem fundo da Reserva Federal americana e dos bancos centrais europeu e japonês, que, conjuntamente, já injectaram biliões de dólares nos bolsos falidos dos donos do grande casino da especulação capitalista global.

    Aqui vai um artigo esclarecedor, ainda que em linguagem algo cifrada, da embrulhada financeira que está afundando a economia americana e pondo a Europa à beira de um ataque de nervos.

    "In Washington, a Split Over Regulation of Wall Street", by Edmund L. Andrews e Stephen Labaton.

    "... The Democratic proposals would subject Wall Street firms to the kind of strict oversight that banks have had for decades. If firms like Goldman Sachs and Merrill Lynch were required to set aside substantially bigger capital reserves, they would have that much less available for lending, trading and underwriting new securities.
    "... Goldman Sachs, Lehman Brothers and Morgan Stanley voluntarily disclosed that they had taken loans under the Fed's new program, in part to reduce any stigma about it. But the volume of borrowing suggests that many other Wall Street firms took advantage as well." -- New York Times (23-03-2008).

  • Aeromoscas de Beja: rentabilidade depende dos militares!!

    23-03-2008. Segundo José Ernesto Queiroz, presidente do novo aeroporto internacional de Beja, EDAP, "...só depois de definidas as contrapartidas financeiras a pagar à FAP (Força Aérea Portuguesa), 'existirá a certeza de que o aeroporto é competitivo no domínio económico'". -- Diário de Notícias.

    Então o Sr. Sócrates e o dromedário-mor do reino cor-de-rosa amarelado anunciam com pompa e circunstância um novo aeroporto internacional em Beja, autorizam um investimento de 33 milhões de euros, e vêm agora dizer-nos, pela boca do administrador Queiroz, que a rentabilidade do aeromoscas vai depender de negociações em curso, que deverão estar concluídas até fim deste mês, com os militares?!! Ou muito me engano, ou já estão a preparar a opinião pública para o fiasco que aí vem.

  • Bancos e instituições financeiras americanas e inglesas à beira do colapso.

    21-03-2008. HSBC, Royal Bank of Scotland, Barclays, Lloyds TSB e HBOS pedem ao governador do Banco de Inglaterra, Mervyn King, novas regras no auxílio de emergência aos banqueiros de sua majestade, sugerindo o exemplo da Reserva Federal americana, que através do chamado Plunge Protection Team (PPT) já desembolsou mais de 60% das disponibilidades criadas para operações rápidas de salvamento do sistema financeiro em caso de catástrofe ou ataque terrorista. Sucede, porém, que os milhares de milhões de dólares até agora lançados no mercado pelos bancos europeus e americanos apenas têm servido para salvar a pele de alguns banqueiros que não se cansam de especular com o seu próprio naufrágio. As sucessivas e dramáticas baixas das taxas de juros até agora verificadas nos EUA destinaram-se a salvar os especuladores responsáveis pela actual crise, em descarado prejuízo do contribuinte americano, da totalidade dos pequenos e médios investidores, e dos milhares de trabalhadores e funcionários que têm ido e continuarão a ser atirados para o desemprego sem sequer poderem usufruir das reformas para que descontaram! Foi assim com o Bear Stearns e o Carlyle Capital há poucos dias atrás, e promete ser igual com as próximas operações de assalto aos bancos e instituições de investimento na bicha das falências iminentes: Lehman Brothers Holdings Inc., Goldman Sachs Group Inc., e o próprio JP Morgan! -- Ler artigo na BBC News e o esclarecedor texto de Mike Whitney em Culture of Life News.

  • Carvão não chega para as encomendas e os respectivos preços aumentam 50% nos últimos cinco meses!

    20-03-2008. Mau tempo, políticas energéticas contraditórias e frouxas e ainda o apetite voraz de mercados emergentes como a China, a India e o Vietnam, estão a gerar uma crise de abastecimento mundial sem precedentes. 45 navios graneleiros aguardam nos portos australianos por melhor tempo... e por carvão! Apagões por falta de combustível sucedem-se na Ásia. Os importadores com dinheiro antecipam-se nas compras a médio e longo prazo, atirando os preços futuros do carvão para valores que, só nos últimos cinco meses, dispararam 50%. Países com frágeis reservas de ouro, monetárias e cambiais, com défices públicos graves e balanças comerciais cronicamente deficitárias, se não dispuserem de fontes energéticas alternativas, ou não as desenvolverem a tempo e horas, vão pura e simplesmente colapsar! Portugal será um deles e o sintoma de que para lá caminha torna-se cada vez mais evidente na alienação das suas empresas e recursos estratégicos a favor dos credores principais da nossa economia. -- Ler notícia no Washington Post.

  • 20-03-2008. Electricidade e gás domésticos sobem entre 14,2 e 15,8% no Reino Unido a partir de 1 de Abril. E não é mentira! Daily Mail.

  • JPMorgan compra Bear Sterns a 2 dólares por acção!

    17-03-2008. O Bear Stearns, quinto maior banco do mundo abriu falência, ou melhor, para evitar declará-la (mais uma manobra evasiva típica do embaraço total do sistema financeiro mundial) concordou vender-se ao colega JPMorgan pelo preço simbólico de 250 milhões de dólares!! Espera-se que o tsunami iniciado com a crise do Subprime atinja, depois deste monumental fiasco da globalização, o mercado de Derivados, avaliado em 516 biliões (516 000 000 000 000) de dólares.

    Há quem preveja dramaticamente um vasto processo de nacionalização da banca americana e o colapso de vários fundos de pensões americanos... e europeus! Nem um ataque nuclear ao Irão, que nalguns cenários se prevê possa ocorrer este Verão, por via de um ataque combinado entre Israel e os EUA, salvará o planeta de um enorme aperto, e a América de uma dolorosa implosão. Preparem-se para o pior! Não vai haver ouro, nem obras de arte, que cheguem para as encomendas. Ler notícia no NYT.

  • O grupo Air France-KLM oferece 139 milhões de euros pela Alitalia!

    17-03-2008. Ou seja, a Alitália está à venda a 10 cêntimos por acção!! A TAP que não se ponha a pau e verá onde vai parar se continuar o jogo do gato e do rato com as Low Cost... e com os contribuintes portugueses! Já é tempo do pessoal da Assembleia da República começar a pagar as suas viagens de turismo político e darem espaço a uma estratégia aeroportuária inteligente. A única solução é entregar imediatamente a Base Aérea do Montijo às Low Cost e segurar a Portela para a TAP. Mesmo com esta medida de emergência, a TAP ou encontra rapidamente um parceiro de fusão, ou acabará vergonhosamente os seus dias como a Alitália! Ler notícia na Bloomberg.

  • A nova recessão americana

    15-03-2008. Economista de Harvard e membro do grupo que data os ciclos económicos americanos, Martin Feldstein, afirma que os EUA entraram no início deste ano numa recessão que poderá ser a pior desde a Segunda Guerra Mundial. -- Ler artigo de Steve Matthews na Bloomberg.

  • O Bear Stearns, quinto maior banco de investimento cotado em Wall Street, à beira da falência.

    14-03-2008. A queda deste banco, só por si, provocaria, nas palavras do editor de economia da BBC, Robert Peston, uma crise financeira mundial. Talvez por isso, o JP Morgan procure neste momento montar um empréstimo de longa duração ao seu colega financeiro, recorrendo ao fundo de 200 mil milhões de dólares criado pela Reserva Federal. Como sublinha Robert Peston, "A operação de salvamento do Bear Stearns vem demonstrar que o pior da crise global de crédito ainda não passou".

    O braço de ferro entre alguns políticos corajosos (Merkel, Obama,...?) com os apetitosos paraísos fiscais onde se escondem das obrigações sociais e da voragem fiscal qualquer coisa como 300 biliões de dólares (mais do que 10 vezes o PIB do planeta!), vai ser decisivo no desenlace final deste colapso escandaloso da famosa "mão invisível do mercado". E atenção: os paraísos fiscais não são apenas a Suiça, o Liechtenstein e Andorra. As ilhas de sua majestade britânica, Channel Islands (Jersey, Guernsey) e Isle of Man, que não fazem parte nem do Reino Unido, nem da União Europeia, também são! Nestes covis privados da decadente realeza inglesa, protegem-se autênticos oceanos de dinheiro negro proveniente de todo o mundo. E o mais curioso é que a libérrima imprensa britânica está proibida de vasculhar e denunciar este caso doméstico de monumental corrupção. Mas como não sou inglês, posso apontar o dedo aos paraísos fiscais de sua majestade! -- Ler notícia sobre o Bear Stearns na BBC News.

  • Derivados, a nova "bomba-relógio".

    14-03-2008. Uma bolha de 516 biliões de dólares (516x10^12), qualquer coisa como 34 vezes o PIB dos Estados Unidos e 10 vezes o PIB mundial (!), é o desastre anunciado que se seguirá ao actual descalabro provocado pela implosão do casino do Subprime. Esta verdadeira bomba nuclear financeira pode explodir a qualquer momento!!

    "The fact is, derivatives have become the world's biggest "black market," exceeding the illicit traffic in stuff like arms, drugs, alcohol, gambling, cigarettes, stolen art and pirated movies. Why? Because like all black markets, derivatives are a perfect way of getting rich while avoiding taxes and government regulations. And in today's slowdown, plus a volatile global market, Wall Street knows derivatives remain a lucrative business." -- Ler artigo de Paul B. Farrell no Market Watch.

  • Parlamento Europeu a favor de taxas mínimas aplicáveis ao gasóleo

    Fiscalidade - 13-03-2008 - 15:03
    A Comissão e o Parlamento Europeu estão de acordo em que, "de um ponto de vista ambiental, afigura-se correcto, na presente fase, estabelecer os mesmos níveis mínimos de tributação para a gasolina sem chumbo e para o gasóleo". As taxas dos impostos especiais de consumo sobre a gasolina sem chumbo e o gasóleo não serão inferiores a 359 euros por 1000 litros antes de 1 de Janeiro de 2015, de acordo com o relatório hoje aprovado no PE. Link.

  • Clima: tema dominante da Cimeira da Primavera da União Europeia



    "The EU will not acknowledge that they need to take responsibility for pollution they created over the last 100 years." -- Rohit Vashist, Delhi, India. BBC News.

    13-03-2008. Alterações climáticas, segurança e reformas no sector energético, dominam a reunião de Primavera dos 27 países da União Europeia, a qual discutirá um relatório, subscrito por Javier Solana, sobre a actual situação mundial e europeia. Serão propostas à discussão medidas de mitigação da deterioração em curso do binómio energia-clima, com destaque para alguns dos mais sérios problemas que o mundo e a Europa terão de enfrentar nas próximas décadas:
    - alterações climáticas decorrentes do aquecimento global por indução humana;
    - migrações em massa para a Europa e Médio Oriente provenientes de África;
    - reforço da Fiscalidade Verde, favorecendo os consumos sustentáveis. Uma batalha em que todos nos devemos envolver, exigindo acções concretas dos governos, das empresas e dos cidadãos.

    Entretanto, decisões mais drásticas deverão infelizmente ser adiadas para a próxima cimeira. Entre estas destacam-se as relativas à eficiência energética, nomeadamente a mudança do actual paradigma de transportes e mobilidade, assente no uso intensivo dos combustíveis fósseis e na emissão de montanhas de gases com efeito de estufa para a atmosfera.

    A Espanha tem vindo a adaptar, a ritmo acelerado, os seus sistemas de transportes em função dos constrangimentos decorrentes da degradação climática e dos termos de troca internacional no campo da energia, tendo lançado a maior rede de transporte ferroviário de Alta Velocidade e Velocidade Elevada, ao mesmo tempo que prepara os seus portos para o enorme crescimento previsível do transporte marítimo, decorrente nomeadamente do potencial integrado da União Europeia a 27, mas também das estratégias de segurança energética preventiva oponíveis aos possíveis bloqueios energéticos oriundos da Rússia e do Médio Oriente. Ainda no que toca ao transporte aéreo, que virá a ser fortemente penalizado pela subida constante das gasolinas e pela já anunciada legislação europeia sobre emissões de CO2, a Espanha adoptou uma inteligente política de flexibilidade aeroportuária, tendo aberto bases militares e ampliado aeródromos, por forma a atrair e sediar as companhias de Low Cost no país. Portugal, ao contrário, tem exibido níveis de incompetência, indecisão e práticas contraditórias, próprios de uma república das bananas -- tonta e corrupta até ao tutano. Por incumprimento das promessas feitas, viu partir do porto de águas profundas de Sines o maior operador de contentores do mundo, continuando a manter uma ligação ferroviária entre Sines e Espanha absolutamente irracional, ineficiente e terceiro-mundista. Por outro lado, no que se refere aos aeroportos, em vez de operacionalizar imediatamente a Base Aérea do Montijo para as companhias de Low Cost, protegendo assim, no que ainda é possível (e é pouco!) o mini-hub que a TAP detem na Portela, os imbecis do Ministério dos Transportes continuam alegremente a sangrar o bolso do contribuinte, a atrasar o país e a encher bolsos de advogados e consultores do Bloco Central. Como se tanta asneira não desse vergonha que chegue, os alegres pantomineiros do governo socratintas continuam sem decisão nem projectos para a ligação da Alta Velocidade entre Lisboa e Madrid, nem qualquer plano ferroviário nacional de adaptação aos novos tempos e, sobretudo, à revolução ferroviária em curso no país vizinho. Nem Salazar faria pior! É o novo Orgulhosamente Sós Socialista.

  • Dólar continua em queda vertical!

    Nota verde cai para os $1,55 por euro depois de os casinos do Subprime, Derivativos e Vigarices do género, terem berrado que os 200 mil milhões de dólares (qualquer coisa como PIB português) injectados ontem pela Reserva Federal no buraco negro do actual tsunami financeiro não chegam para descongelar as máquinas de empréstimo bancário. E sabem porquê? Porque o dinheiro que os contribuintes, sem serem consultados, estão a despejar nos casinos da finança mundial através dos piratas que dirigem os bancos centrais, vão direitinhos para os covis negros do capitalismo a que carinhosamente ainda chamamos "paraísos fiscais"! A reunião de ontem dos donos da banca portuguesa augura o pior. Muita atenção às manobras em curso. Não se esqueçam que o Pinho é um mero empregado do BES em destacamento de serviço no governo socratintas!! Nem das trocas e baldrocas entre a Caixa Geral de Depósitos e a dupla falida BCP-BPI. Ver notícia da Bloomberg.

  • Petróleo: $108,21

    10-03-2008. O crude da OPEP para Abril foi pago hoje em Nova Iorque a $107,92. E no mercado de futuros atingiu $108,21. Lá para o fim desta semana pode chegar aos $110, aos $120 no Verão... e aos $150 antes do fim do ano! Impossível?
    Alguém tem que começar a pensar desde já num Orçamento de Estado rectificativo. Quanto a novos aeroportos e novas travessias do Tejo, não saquem mais dinheiro em estudos! Invistam de uma vez por todas na renovação da rede ferroviária!!

    Bloomberg

    E as bolsas asiáticas e americanas continuam a mergulhar a pique !!!

  • BCP e BPI virtualmente falidos

    10-03-2008. Estas extraordinárias instituições financeiras semi-lusitanas recorrem em desespero de causa aos seus accionistas para que forrem os fundos, actualmente vazios, de liquidez. A resposta de Joe Berardo é anunciar que vai processar o BCP. Pudera! Um aviso: todo o metal fresco que lá meterem irá muito provavelmente parar aos paraísos fiscais que neste preciso momento estão a sugar boa parte das ajudas públicas aos bancos envolvidos nos casinos do Subprime, Derivados e outras brincadeiras especulativas do género. O maremoto ainda não terminou e o enorme ralo que vem sugando mares inteiros da liquidez fictícia que alimentou as várias bolhas especulativas recentes, ainda não terminou a sua tarefa. É o maior buraco negro financeiro desde 1929! Comprem ouro, terras férteis e água. Se tiverem mesmo muito dinheiro, comprem petróleo, carvão, urânio. Ponham os carros a andar a água! E metam a cabeça na linha férrea. Não, não era isso que queria dizer. Atravessem-se, ou melhor, apostem no regresso do transporte ferroviário, oponham-se às barragens hidroeléctricas que o socratintas anunciou, e formem clusters económicos em torno da redução drástica das emissões de CO2. Esqueçam a ideia de especular com o mercado das emissões! O país está nas lonas e à beira de uma revolução!

    07-03-2008. "Os títulos do BPI desvalorizaram 33% desde o início do ano, terceiro desempenho mais negativo na banca europeia. Pior que o banco liderado por Fernando Ulrich só o BCP, que também vai pedir dinheiro aos seus accionistas, e o suíço UBS, uma das instituições europeias mais penalizadas pelo efeito 'subprime'." -- in Diário Económico.

    "Hoje, sem procura, o BCP tenta vender 1,3 mil milhões de euros em acções que se arrastam ao valor mais baixo dos últimos quatro anos -- 1,82 euros, quando ainda em Junho valiam mais de 4. O BPI, que desvalorizou 55% desde o Verão -- o valor mais baixo desde há três verões -- precisa de levantar 350 milhões de euros. E a EDP, que vale menos 20% do que há quatro meses, tenta colocar em bolsa a sua unidade de energias renováveis."
    ... É extraordinária a comparação com outro banco, o BES. As suas acções caíram 35% desde Junho. Mas enquanto os rivais brincavam às OPA e às fusões, o banco de Ricardo Salgado tratava de reforçar o seu capital. Aproveitou o 'time to market'. Hoje o banco está protegido para a tormenta. O Ricardo é que sabe. -- Pedro Marques Pereira, in Diário Económico.

    COMENTÁRIO: O Ricardo colocou o Pinho no governo de Sócrates, para não perder pitada, já se sabe. E não tem perdido! Faz adormecer as investigações aos "off shores" (que Angela Merkel e Obama querem investigar...), entope as investigações sobre a Portucale e outras ligações perigosas (compras militares, etc.) e consegue a lindeza de vender por 150 milhões de euros (adiantados ao governo pelo BCP!) a sucata da PGA à TAP, que agora vai ter que despejá-la, por imprestável, na guerra perdida com as Low Cost, no grande ferro-velho internacional de Beja -- a primeira famosa cidade aeroportuária saída da mente brilhante do Augusto Mateus. Custa alguma coisa brincar aos piratas? Assim também eu! Todos presos!!

  • Porque a carne produz mais CO2 do que os automóveis, modera o seu consumo "sem stress".



    Do The Green Thing é um sítio divertido de activismo verde com excelentes videos.

  • Aveiro e Coimbra sem Alta Velocidade!



    05-03-2008. Há três anos que Rui Rodrigues preveniu publicamente os responsáveis e o país de que Aveiro e Coimbra iriam ser excluídas da Alta Velocidade caso a RAVE não corrigisse as calinadas da REFER. A RAVE não corrigiu, e agora Coimbra e Aveiro vão ver o TGV por um canudo, isto é, para lá chegar precisarão de um "intercambiador"! E ninguém é despedido?! Claro, o Mexia mexeu-se a tempo e já anda na EDP a fazer das suas. Imprescindível ler o PDF de Rui Rodrigues (em qualquer país decente este homem seria pago a peso d'ouro!), publicado no Público em 7 de Fevereiro de 2005, e EXIGIR RESPONSABILIDADES!!

  • Credit Crunch Worries Economists


    Um Power Point completamente elucidativo!

    WASHINGTON -- The cascading fallout from the subprime loan crisis, barely a cloud on the horizon a year ago, is now viewed by experts as the economy's gravest threat.

    In a survey being released Monday, 34 percent of the members of the National Association for Business Economics ranked the financial market turmoil from those loan defaults as the No. 1 threat to the economy over the next two years.

    That compares with 18 percent from an August survey, when the most serious threat was seen by 20 percent of the economists as terrorism and the conflicts in the Middle East.

    A year ago, the credit crisis did not even register as a chief threat.

    By MARTIN CRUTSINGER The Associated Press Monday, March 3, 2008; 9:40 AM in Washington Post.

  • O combóio comunitário

    A ter em conta nas negociações com a Espanha....

    Common European Train: further than the "Lorient Express"

    Europe's railways - a patchwork of different countries' trains, regulations and signalling systems. Now, there is a major oject underway to develop a standardised, cross-border train which will hold no secrets for drivers and passengers - whatever their nationality. Futuris takes a ride on the European footplate of the future. -- in Euronews. Ver também Modtrain.

  • Beato-Montijo: a melhor e mais barata Terceira Travessia

    Lisboa, 03 Mar (Lusa) - O estudo sobre a Terceira Travessia do Tejo, elaborado pela empresa de consultadoria TIS, demonstra que a opção Beato-Montijo é superior à Chelas-Barreiro em 14 dos 15 critérios analisados, revelou hoje à Lusa José Manuel Viegas.

    O estudo, desenvolvido pela empresa de consultadoria presidida por José Manuel Viegas, é uma "versão aprofundada" do estudo da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) e será entregue ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) na terça-feira, de modo a integrar a análise comparativa entre as opções Chelas-Barreiro e Beato-Montijo que o LNEC está a elaborar. -- Lusa/Sapo.

  • Carrapatoso anti-sistema. Um bom diagnóstico do país que temos.

    "O velho 'Sistema' não existe só no futebol. António Carrapatoso avisa que a teia de poderes e interesses alargou-se aos domínios da política, da economia e da sociedade. Este 'Sistema' desenvolve-se na dependência do Estado e prejudica todos os cidadãos. É urgente mudar de paradigma".

    ... "O actual sistema apresenta cinco pilares fundamentais que estão naturalmente interligados.

    1) O elevado peso e âmbito de intervenção do Estado (central, regional e local) e a sua apropriação por grupos corporativos.

    2) A elevada dependência da Sociedade Civil face ao Estado. O seu fraco dinamismo, autonomia e capacidade de intervenção.

    3) A elevada promiscuidade entre o poder político e o poder económico, assim como a concentração do poder, a falta de concorrência, abertura e flexibilidade dos mercados.

    4) O desprestígio e a incapacidade de atrair para as funções políticas e de Administração Pública um maior número de bons valores.

    5) Um modelo social que mantém a esmagadora maioria da população como dependente, não estimulando o seu desenvolvimento e autonomia, o que não é eficaz na promoção da coesão social e no combate à pobreza, não apresentando qualidade na prestação dos serviços públicos.

    ... "O favorecimento ou proteccionismo dado na prática pelos governos a determinados interesses económicos, com justificações do tipo ?centros de decisão nacional?, por exemplo na venda de participações sociais ou na atribuição de concessões, não só levam muitas vezes a julgamentos arbitrários do poder político na selecção de quem vão beneficiar (em detrimento de outros) como são economicamente prejudiciais ao país e representam mais um exemplo da indesejável promiscuidade político-económica." -- In Os Atlânticos.

  • 2,3 milhões de americanos na prisão!

    Um estudo sobre as prisões nos Estados Unidos acabam de revelar que mais de 1% da população adulta se encontra atrás das barras. Falta, portanto, contabilizar o número de menores encarcerados. Os custos penitenciários têm entretanto subido seis vezes mais depressa do que os custos com a educação! Esta população prisional custa 49 mil milhões de dólares aos 50 estados da União. Há 20 anos atrás, estes gastos não chegavam a 11 mil milhões. OS EUA contam presentemente com 750 presos por 100 mil habitantes; a África do Sul, 341 por 100 mil; o Irão, 222; e a China 119. Qualquer coisa de muito má está a acontecer na América. -- in BBC News.

  • Alta Velocidade pode chegar a Mirandela antes de chegar a Lisboa. Força Mirandela! Ver notícia.
  • Belmiro procura parceiros para gerir o aeroporto



    27-02-2008. "A intenção de privatizar a gestão do "Sá Carneiro" tem sido partilhada, além do Governo, por PS, PSD e Junta Metropolitana do Porto. E até o primeiro--ministro, José Sócrates, se manifestou, num encontro recente que manteve com figuras do empresariado nortenho, favorável a esse desfecho." -- Pedro Ivo Carvalho, JN.

    Ora aqui está uma evolução interessante do pensamento governamental! E a prova de que o modelo de financiamento do NAL (seja em Alcochete, no Pinhal Novo ou... no Montijo!) deixará de passar pela alienação enviesada da ANA e, espero bem, do fecho da Portela. A ideia peregrina de financiar o NAL com as vendas da ANA e da Portela felizmente falhou. Não creio que o aeroporto da Portela venha a fechar algum dia, e muito menos antes de 2020. António Costa e os demais partidos do arco parlamentar que o apoiam têm pois que começar a pensar noutros remédios para a insustentabilidade estrutural da Câmara Municipal de Lisboa. O empréstimo que possivelmente virá depois do fiasco resultante do legítimo chumbo do Tribunal de Contas, é só mais uma dose na veia da dependência financeira. Não resolve coisa nenhuma. Só há uma solução realista e justa: adequar a dimensão da CML à real dimensão espacial e populacional da cidade. Se compararmos com Madrid, que é uma cidade bem gerida, tal implicaria reduzir para metade o número de funcionários e dependentes do governo municipal da capital do país. Doloroso, mas inevitável. A blogosfera tem cada vez mais razão nos conselhos que dá. E não cobra nada, ao contrário do Júdice & Companhia!

  • Petróleo chega aos 102 Dólares, e não vai ficar por aqui!

    27-02-2008. A produção do crude não aumenta e o dólar americano continua a sua imparável e programada queda (desceu ontem a menos de metade do Euro!) copiando uma velha e pouco estudada estratégia asiática, inaugurada e ferozmente mantida pelos Japoneses: o carry trade. Isto é, uma combinação fatal entre moeda barata (para desequilibrar o comércio mundial a favor da moeda fraca) e taxas de juro próximos do zero, especialmente desenhadas para os grandes operadores económicos e financeiros. Uma das magias desta ideia foi ter permitido, durante mais de uma década, aos piratas do mundo inteiro, endividar-se a juros próximos do zero, em Tóquio (deixando por lá divisas como o Dólar e o Euro), para depois realizar empréstimos (nomeadamente bancários) a taxas 4, 5, 10 e 30% mais elevadas nos países devedores originários!! O problema desta esperteza saloia, que liquida literalmente a saúde física e mental das populações assalariadas, é que não pode ser copiada por toda a gente! A China, dado os baixíssimos níveis salariais da população, beneficiou até agora de metade da equação do carry trade, mas percebendo as consequências nefastas da combinação dos dois termos da equação, decidiu que não adoptaria a política suicida dos empréstimos infinitos sem juros inventada pelos japoneses. Pelo contrário, a China quer mais poupança e menos especulação na sua economia! Não é, porém, o caso, das falidas economias americana e francesa. Os piratas da Reserva Federal e o garnisé Sarkozy, todos ao serviço do buraco negro da economia virtual onde se escondem os paraísos fiscais e os casinos da dívida infinita proporcionada pelos chamados mercados de derivados, querem copiar o modelo japonês. As sonoras gargalhadas de Elaine Supkis Meinel, primeira pessoa que dedicou tempo e sabedoria a analisar o estranho fenómeno da economia japonesa, significam o seguinte: é impossível copiar, e muito menos multiplicar, o modelo japonês. As actuais tentativas americana e francesa, poderão apenas conduzir mais depressa a uma III Guerra Mundial! -- Bloomberg, sobre a queda do Euro; e sobre a subida do petróleo.

  • Afinal os 4 "Quatro Grandes" já eram!

    O garnisé que ocupa o Eliseu regressa à teoria das zonas de influência dos antigos estados europeus. A agenda pró-Sionista de Sarkozy (e a vontade de endividar sem freio os franceses em nome da nova corrida armamentista em curso) é cada vez mais clara: destruir a Grande Europa!

    Paris, 26 Fev (Lusa) - Paris e Berlim acabam de anular duas cimeiras, tornando público um mal-estar persistente franco-alemão, devido a divergências sobre o projecto de União Mediterrânica do presidente Sarkozy e dossiês económicos europeus. -- RTP.

  • Rapariga Japonesa de 14 anos violada (ou molestada) por militar americano na ilha japonesa de Okinawa



    22-02-2008. Este incidente ameaça romper o pacto militar entre o Japão e os Estados Unidos, nas palavras do ministro da Defesa nipónico, Shigeru Ishiba: "Não creio que seja possível manter uma aliança a não ser que os Estados Unidos partilhem a visão de que a repetição deste tipo de incidentes, poderá abanar as fundações da aliança entre o Japão e os Estados Unidos". BBC News.

  • Bancos estatais alemães à beira do colapso

    21-02-2008. O governo alemão tem vindo a socorrer bancos estatais com dinheiro dos contribuintes, face aos desastrosos desempenhos das altamente remuneradas administrações daquelas instituições públicas que, à semelhança dos bancos privados, transformaram a actividade bancária mundial num verdadeiro casino online. Vale a pena ler o esclarecedor artigo de Wolfgang Reuter no Der Spiegel. Eis uma passagem:

    "The situation for Germany's public banks has become so dramatic that it threatens to topple what has been one of the key pillars of the country's banking system. The state-owned banks are supposed to bail each other out when necessary, but the problem is that many are in trouble themselves and hardly in a position to help their peers. And things could get even worse."

  • Dresdner Bank - terceiro maior banco alemão em apuros!

    21-02-2008. O Dresdner Bank AG, do grupo Allianz SE, lançou uma operação de resgate no valor de 18,9 mil milhões de USD para satisfazer as suas responsabilidades face ao seu gigantesco fundo de investimentos de curto prazo K2 (do nome da segunda montanha mais alta dos Himalaias). Este SIV (Structured Investment Vehicle), cujo futuro é agora posto claramente em causa por um dos responsáveis máximos da Allianz, perdeu já metade do seu valor inicial de 31 mil milhões de USD. Tal como os pacotes do Subprime, os SIV são mais uma das muitas geniais criações dos teóricos da economia virtual. Muito boa gente comprou a ilusão de que poderia enriquecer ad eternum sem nada produzir. Bastaria especular em esquemas piramidais sofisticados do tipo Ponzi (mais conhecidos entre nós por Donas Brancas, de que o colapso da Afinsa foi o prenúncio que poucos quiseram ver), que o Rei Midas faria o resto. O acordar deste sonho está a revelar-se o maior pesadelo financeiro ocidental desde o grande colapso de 1929. Vamos observar nos próximos meses até que ponto esta epidemia especulativa arrasará ou não o sistema financeiro português. O colapso do BCP está à vista de todos. Esperemos que a Caixa Geral de Depósitos não tenha igualmente andado a comprar selos, Subprimes e SIVs por aí.... Ler notícia na Bloomberg. - OAM

  • Reino Unido pede desculpas por voos da CIA



    21-02-2008. David Miliband, ministro dos negócios estrangeiros de Gordon Brown, reconheceu pela primeira vez a existência de voos e escalas não autorizados da CIA em território britânico. Este trânsito ilegal de prisioneiros com escala de abastecimento na ilha Diego Garcia (um território ultramarino inglês no oceano Índico), foi finalmente denunciada pelos britânicos, alegando desconhecimento das circunstâncias e boa-fé nas informações do Governo americano. Corresponderá esta demarcação à campanha em curso para colocar o pirata Tony Blair na presidência da União Europeia, sucedendo ao já pré-despedido José Manuel Barroso? E por cá, quando é que os piratas do Bloco Central se descosem? -- Ler notícia na BBC News online.

  • Maior evasão fiscal da história alemã sob investigação.

    20-02-2008. O príncipe do paraíso fiscal chamado Liechtenstein está furioso com uma investigação fiscal de larga escala desencadeada pelo governo alemão depois de este ter comprado por 5 milhões de euros um DVD com os pormenores financeiros de 1000 alemães abastados, responsáveis, ao que parece, com a conivência dos bancos do dito principado, por uma gigantesca evasão fiscal. Se a moda pega (vai pegar, porque o Ocidente atravessa uma das maiores secas financeiras de sempre) vai ser divertido observar o tombo de muita sumidade e gente honestíssima. Parece que adivinhava quando escrevi, em Setembro do ano passado, sobre os Saldos BCP! -- OAM. Ler notícia no Der Spiegel.

  • Petróleo ultrapassa os 100 US Dólares!

    O crude chega aos 110,10 US Dólares face às especulações de que a OPEP reduzirá a produção de crude já a partir de Março, devido à queda da nota verde americana, mas também porque, apesar da incomodidade da questão, a verdade é que o Pico Petrolífero mundial está mesmo ao virar da esquina. A platina, a soja, a gasolina e o óleo diesel bateram hoje os respectivos máximos de sempre. A inflação tomou o freio nos dentes à escala mundial. Mas o empurrão maior dado na actual tendência altista do petróleo foi a provocatória e unilateral declaração de independência do Kosovo. Coitado de quem não tiver fundos soberanos para pagar o que come! Bloomberg.

  • Wikileaks banido dos servidores web por uma ordem judicial emitida por um tribunal californiano.

    19-02-2008. Este sítio, iniciado em 2006 por jornalistas, matemáticos e tecnólogos dissidentes dos Estados Unidos, Ilha Formosa, Europa, Austrália e África do Sul, conhecido pela publicação anónima de documentos comprometedores de actividades ilícitas, nomeadamente de bancos e off-shores, publicou mais 1,2 milhões de documentos antes de ser banido dos servidores da Dynadot. Para uma lista de mirrors de Wikileaks consultar esta página do HongPong. Ler ainda BBC online

  • EUA: dois milhões de hipotecas executadas e outras tantas a caminho!

    Não é nada divertido, mas o riso ajuda a perceber quem tramou a economia americana.

  • Saldos na Société General: acções com 39% de desconto!

    Para fazer face ao buraco financeiro aberto pela jogatina nos mercados de derivados o segundo maior banco francês pretende arrecadar 5,5 mil milhões de euros com a operação de reforço de capital através da venda de acções. Uma operação desesperada e arriscada que, se falhar, colocará esta importantíssima instituição financeira francesa numa situação similar à do Northern Rock. Isto é, à beira da nacionalização! Se tal acontecer, podemos estar seguros que sorte igual caberá entre nós à dupla BCP-BPI.

  • Histeria de António Costa dá que pensar...

    11-02-2008. Porventura apertado pela tríade de piratas que sequestrou o PS, ou simplesmente porque Sócrates terá ameaçado demitir-se (face à falta de solidariedade dos seus pares), o promissor António Costa perdeu a cabeça numa entrevista conduzida por Maria João Avillez, no RCP (Ouvir entrevista), e entrou por um ataque descabelado contra o Público, nas pessoas do seu director, José Manuel Fernandes, e do jornalista José António Cerejo, e ainda contra Belmiro de Azevedo, a propósito das investigações sobre as tropelias do socratintas que não nos governa.

    O actual primeiro ministro tem cada vez menos condições para prosseguir no cargo que ocupa, seja por manifesta deficiência de carácter, seja pela clamorosa incompetência do seu governo, ou seja ainda pelo agravamento acelerado da actual situação económica e social. Está na hora de o senhor Presidente da República convidar o PS a propor uma personalidade de recurso para ocupar o cargo de primeiro ministro. E está na hora de se proceder a uma profunda reforma do actual sistema partidário e eleitoral, cujas virtudes se esgotaram definitivamente.

  • BCP desvaloriza quase 4 mil milhões desde Janeiro

    11-02-2008. O Banco Comercial Português está novamente em queda, penalizado pela especulação em torno da necessidade de recorrer a um aumento de capital. Os títulos afundam mais de 4%, na sessão de hoje e estão a negociar em mínimos de 2004. Desde o início do ano, o banco liderado por Santos Ferreira já desvalorizou quase 4 mil milhões de euros. Jornal de Negócios.

    A situação não é melhor no BPI. Em suma, dois bancos em queda livre, prontos para uma OPA. Talvez fosse o momento da Caixa Geral de Depósitos avançar! O País precisa dum banco de média-grande dimensão e já percebemos que não vai ser privado. Duas empresas públicas estrangeiras disputam em off os dois bancos privados portugueses: o La Caixa, de Barcelona, e a petrolífera Sonangol. Porque não deixar avançar a CGD para esta apetecível arena? O Vara lá tem as suas razões para manter uma perna em cada barco!

  • Ramos-Horta em estado crítico. Tentativa de decapitação do poder timorense.

    11-02-2008. O major renegado Alfredo Reinaldo, que morreu na tentativa de golpe de Estado, programou a decapitação do regime timorense, tendo coordenado a tentativa de assassínio simultâneo do presidente da república, José Ramos-Horta, e do primeiro-ministro, Xanana Gusmão. O braço de ferro entre a Indonésia e a Austrália pelo controlo das estratégicas reservas petrolíferas do mar de Timor não acabou e teme-se por nova guerra civil no território.
    EuroNews.

  • Acordo ortográfico para a Língua Portuguesa.

    10-02-2008. O escritor angolano, José Eduardo Agualusa, defende, em crónica hoje divulgada pelo semanário A Capital, de Luanda, que Angola «deve optar pela ortografia brasileira», caso o Acordo Ortográfico não venha a ser aplicado por «resistência» de Portugal. (Lusa/Diário Digital)

    A partir de Janeiro de 2008, Brasil, Portugal e os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste - terão a ortografia unificada. (Texto do Acordo; Entrada na Wikipédia)

    Li o Acordo e parece-me razoável, apesar de as principais diferenças linguísticas hoje existentes entre os países lusófanos residirem sobretudo nos respectivos vocabulários e sintaxes. A ratificação do Acordo é útil para a economia e cultura dos países lusófanos. Qualquer resistência burocrática da parte portuguesa, não passa disso mesmo: dum empecilho burocrático e imbecil.

  • Bolsas mundiais perdem 3,6 biliões (3,6x10^12) de euros em Janeiro

    09-02-2008. A bolsa de Paris viu esfumar-se tudo o que havia ganho nos últimos 12 meses. Londres e Nova Iorque tiveram resultados ainda mais vermelhos: -2,2,% e -2,42% no mesmo período. A maior queda deu-se, porém, na bolsa japonesa: -10,4% do valor ao longo do último ano! Se isto não é recessão, o que é então?! AFP

  • Bolsas em queda livre, no Japão, Europa e EUA, apesar de todos os esforços da Reserva Federal Americana e do Banco Central Europeu

    05-02-2008. A situação económica e política mundial deteriora-se dia a dia. O BCE poderá decidir-se por uma baixa nas taxas de juro antes do fim deste mês, face às dificuldades imparáveis do sistema bancário euro-americano, que continua, apesar dos milhares de milhões de euros e dólares injectados no sistema, sem ver a cor do dinheiro! Esta situação sem precedentes, poderá atingir um climax muito perigoso quando a anunciada bolsa iraniana do petróleo, já desconectada do dólar, abrir as suas portas na ilha de Kish ainda esta ou na próxima semana.

    Bush terá ameaçado os países do golfo com um inferno nuclear se caírem na tentação de seguir as pisadas do Irão no abandono da nota verde. Por outro lado, os jogos de guerra em curso no Atlântico, no Mediterrâneo e no Médio Oriente, envolvendo separadamente forças militares da NATO, da França e ainda bombardeiros estratégicos russos, revelam um quadro de crise muito grave. Se o Irão não suspender a inauguração da dita Bolsa, se os países árabes prosseguirem com a ideia de criação de uma moeda comum, e se o Obama perder para Hillary Clinton as cruciais eleições de hoje, então teremos um quadro de guerra praticamente inevitável pela frente. Se será ou não o início da III Guerra Mundial, é imprevisível. Mas que a corrida bélica entrou numa fase de aceleração sem precedentes, disso persistem já poucas ou nenhumas dúvidas!

    Acompanhar esta situação em Democracia Virtual.

  • Banca chinesa no topo do mundo.

    04-02-2008. A banca chinesa acaba de ultrapassar a grande velocidade a banca americana. O Citigroup, que era em 2007 o maior banco do mundo em valor de mercado, foi relegado, depois de perder 110 mil milhões de dólares no casino do Subprime, para uma modesta quarta posição no ranking mundial. À sua frente encontram-se agora três bancos chineses: ICBC - Industrial & Commercial Bank of China Ltd., China Construction Bank Corp. e o Bank of China Ltd. Em 2003, dos 20 maiores bancos do mundo, 13 eram americanos e nenhum deles asiático. Agora, quatro são asiáticos, seis são americanos, e os dez restantes, de outras nacionalidades. Uma Nova Ordem Mundial acaba de nascer, e a gentinha de Davos deu-se conta disto mesmo! Ler artigo de Aaron Kirchfeld na Bloomberg.

  • Barroso saúda reeleição do Presidente a Sérvia Boris Tadic

    04-02-2008. A vitória do candidato pró-europeu nas disputadas eleições presidenciais da Sérvia, permitiu a José Manuel Durão Barroso adiantar um convite para a aceleração do processo de entrada daquele país dos Balcãs na UE. A não referência ao manipulado processo de independência do Cosovo -- um plano provocatório congeminado tipicamente por ingleses e americanos -- é um bom augúrio. As pretensões abusivas do Cosovo, região mítica originária da nação Sérvia, não só ameaça uma vez mais a paz europeia, como estimula todos os processos nacionalistas tardios que ainda persistem em alguns países da União Europeia: Espanha, Reino Unido, França e Itália. Tal como sucede no País Vasco, estamos na presença de dinâmicas tipicamente oportunistas, cuja solução aceitável não deve ir além da concessão de amplas autonomias, ou quanto muito, se outra saída não houver, e houver consenso democrático, da criação de regimes federados. Seja como for, o que vier a suceder na província sérvia do Cosovo será um diapasão para os processos nacionalistas em curso, nomeadamente em Espanha.

  • China: crise de frio e neve provocam o caos e ameaçam produção.



    04-02-2008. As crises provocadas na China pela seca dos últimos anos, e agora pela maior tempestade de frio e neve do último meio século, estão a pôr à prova a capacidade da nova locomotiva da produção mundial. O recurso ao carvão e à importação de petróleo e gás natural, para produção da energia necessária ao funcionamento das fábricas, foi a consequência imediata do abaixamento da produção de energia oriunda das barragens hidroeléctricas. Agora, o gelo que cobre o país, sobretudo a Sul, ameaça as possibilidades de transporte ferroviário do combustível que alimenta as centrais produtoras de energia eléctrica a partir do carvão. Um teste que o mundo segue com a maior atenção. Segundo a BBC News, a China ainda não está preparada para tempestades de neve...

  • Ricardo Salgado: "Estou no sector bancário há mais de 40 anos e nunca vi uma crise como esta

    04-02-2008. Para o presidente do BES, em entrevista ao Expresso desta semana, "o elemento fulcral" desta crise gigantesca "tem origem no sector bancário". Apesar de o BES não ter sido afectado pelo colapso do Subprime, crê que os efeitos do deserto de liquidez que sobreveio à mesma, e sobretudo a crise de confiança que se seguiu, afectaram grandemente os bancos portugueses, como aliás todos os bancos europeus e americanos.

  • Blackout na Internet pode ter sido uma operação militar americano-israelita

    Quatro cabos submarinos de fibra óptica foram cortados ou danificados em dois dias consecutivos, pondo o Irão em completo blackout internético. A hipótese de meros acidentes provocados por âncoras distraídas, não convence. Se, como parece, foi um acto de sabotagem, o mesmo é considerado à luz das convenções internacionais existentes um acto de guerra! Estaremos mesmo a assistir à escalada de incidentes que desencadeará a III Guerra Mundial? Se pensarmos que tanto Israel, como os EUA, estão falidos e envolvem mais de 80% das respectivas actividades produtivas nas indústrias da guerra, então a hipótese deixa de ser fantasista. OS EUA estão a armazenar petróleo em grandes quantidades, sem se importarem com o aumento da dívida que tal aprovisionamento acarreta. Este tipo de irresponsabilidade precede geralmente as grandes guerras. Ler o alerta de Richard Sauder, e ainda o despacho de Elaine Meinel Supkis.

  • India e Médio Oriente com Internet e call centers em baixo.



    31-01-2008. Cabos submarinos de fibra óptica destruídos ou danificados interrompem a prestação de serviços de Internet, nomeadamente serviços de voz (VOIP) e operações de call centers, em 70% da rede egípcia, e 60% da rede indiana, atingindo ainda as redes de países como os Emiratos Árabes Unidos, o Kwait, o Dubai e a Arábia Saudita. Atendendo ao elevado número de call centers sediados na India e à importância das comunicações electrónicas nos países do Médio Oriente (onde hoje se encontra parte significativa da liquidez monetária mundial), se esta enorme avaria não for reparada rapidamente, e se entretanto não houver alternativas redundantes que satisfaçam as necessidades de tráfego electrónico oriundo daquelas paragens, teremos certamente mais quebras nos mercados bolsistas mundiais. Ler BBC News.

  • UBS, o maior banco europeu em volume de activos, anunciou ter perdido 14,4 MIL MILHÕES de euros!

    31-01-2008. A maior perda até agora registada por um banco num apuramento de resultados anual! "The loss, larger than the $9.83 billion reported by Citigroup Inc. Jan. 15, is the biggest for a bank, said Charles Geisst, a finance professor at Manhattan College in Riverdale, New York." -- Bloomberg (30-01-2008).

  • Margaret Thatcher ordenou à marinha manobras de provocação nas costas suecas

    30-01-2008. Segundo um livro recentemente publicado por Ola Tunander, investigador do International Peace Research Institute, sediado em Oslo, forças anglo-americanas realizaram operações de assédio submarino às costas suecas, fazendo-se passar por submarinos soviéticos. Foram reportadas mais de 4000 detecções entre 1982 e 1992. Até 1990 todas estas operações terão tido a aprovação assinada da antiga primeira-ministra inglesa. -- Times Online (27-01-2008).

  • China: seca em barragens hidroelétricas fazem disparar preço do petróleo e do carvão

    28-01-2007. A China, segundo maior consumidor de energia do planeta (depois dos EUA), produz 15% da electricidade que consome a partir das suas centrais hidroeléctricas, e tenciona chegar aos 50% até 2010. Este desígnio tem um inconveniente grave: as secas! Estas são cada vez mais frequentes e duradouras, em consequência das alterações climáticas provocadas pelo actual crescimento económico exponencial. Aumentando a produção hidroeléctrica para os 190 Gigawatts, a China estimula uma procura interna inevitável. E quando esta não pode ser satisfeita, por falta de chuva, as importações de petróleo e o consumo de carvão disparam automaticamente. Não é assim apenas a queda do dólar que provoca a subida do preço do barril de crude. As secas também! Além dos gravíssimos cortes no abastecimento de água às populações e às actividades económicas mais diversas, como a agricultura. Enquanto não pusermos a eficiência energética e a mudança do actual modelo de desenvolvimento à frente de todas as demais prioridades, apenas continuaremos a caminhar para o desastre. -- Ler artigo no AlertNet da Reuters (17-01-2008)

    Tema de debate em Democracia Virtual

  • Fortis perde mil milhões de euros na roleta do Subprime

    28-01-2008. E o Barclays Capital afirma que os bancos precisam de mais dinheiro (público!) para minorar as consequência da crise de crédito. Qualquer coisa como $143 mil milhões. -- BBC NEws.

  • Edward e Caroline Kennedy com Obama

    28-01-2008. O senador Edward M. Kennedy anunciará oficialmente, na próxima Segunda-Feira, o seu apoio à candidatura de Barak Obama à presidência dos Estados Unidos, apesar do namoro insistente dos Clinton. Este poderoso contributo poderá ser decisivo para a nomeação do candidato "da mudança", cada vez mais parecido no estilo com Martin Luther King. Longe vá o agoiro! O certo é que Obama é já objecto de uma esquema de protecção de Estado ao mais alto nível. As más línguas dizem que a direita americana prefere ver Obama, a Hilary Clinton, na corrida presidencial, convencida que seria facilmente batido pelo velho republicano John McCain. O empurrão para a decisão do senador democrata terá vindo do apoio público manifestado a Obama por Caroline Kennedy, filha do falecido e mítico presidente americano John F. Kennedy. -- New York Times

  • Marinho Pinto diz que há corrupção em altos cargos do Estado

    26-01-2008. "A Procuradoria-Geral da República (PGR) determinou, hoje, a abertura de um inquérito às declarações do bastonário da Ordem dos Advogados, que à Antena 1 disse que há pessoas com cargos de relevo no Estado que cometem crimes "impunemente". Marinho Pinto disse, entretanto, que está disponível para dar explicações na Assembleia da República e defende, mesmo, a instauração de um inquérito parlamentar." -- ver video da SIC.

  • Davos atribui a Portugal 18º lugar no Índice de Desempenho Ambiental 2008.

    25-01-2008. Das seis categorias de políticas: saúde ambiental, poluição do ar, recursos hídricos, biodiversidade e habitat, recursos naturais e alterações climáticas, Portugal esteve acima da média dos 149 países comparados, em todas as categorias menos uma: biodiversidade e habitat, isto é, destruição cinegética por acção do imperialismo eucaliptalista, desgraça urbana generalizada, falta de protecção às áreas marinhas (a única mina de ouro que nos resta!) e falta de conservação efectiva da natureza. Apesar de tudo, as melhores classificações vêm em saneamento básico, água potável, emissões per capita e protecção de habitats críticos. Boas notícias? Depende do ponto de vista. Por exemplo, esta visão aparentemente risonha pode servir de desculpa para a continuação do actual paspalho à frente do Ministério do Ambiente, e para novas desbundas imobiliárias. A fonte desta nota informativa foi a excelente secção do Público online, Ecosfera. Vou colocá-la no índice de links do Grande Estuário :-)

  • Quénia: mais um rapto eleitoral, com a benção dos piratas ingleses e americanos

    25-01-2008. A história conta-se em duas palavras: assim como George W. Bush roubou a eleição de Al Gore, o presidente cessante e candidato do Quénia, Mwai Kibaki, líder do Party of National Unity (PNU), roubou a eleição de Raila Odinga, candidato do Orange Democratic Movement (ODM). O resultado foi claro: 42 mandatos para o PNU, 99 para o ODM. No entanto, a Comissão Eleitoral atribuíu a vitória ao partido perdedor! A partir daqui é o que temos visto na televisão, com as usuais descrições que nada explicam. O Quénia, uma das famosas democracias estáveis de África, transformou-se, por acção directa dos interesses anglo-americanos, numa cleptocracia sob a bandeira da globalização liberal. Agora caminha, como muitas outras cleptocracias para o estatuto de Estado Falhado. Vale a pena ler a este propósito Kenya: Stable Democracy or Meltdown?, no estilo sempre lúcido e sucinto de Immanuel Wallerstein.

  • Negócio entre Irão e Portugal confirmado.

    25-01-2008. Os ministros dos Negócios Estrangeiros do Irão, Manouchehr Mottaki, e de Portugal, Luís Amado, confirmaram a existência dos projetos conjuntos na área da exploração de hidrocarbonetos.

    Segundo Amado, "há vários meses de contactos" entre a Galp e a NIOC (National Iranian Oil Company), a empresa nacional de petróleos iraniana. A preocupação portuguesa "é agora a de criar condições estratégicas e políticas que permitam desenvolver muito mais as relações económicas, comerciais e culturais entre os dois países". -- Pravda, 01/24/2008 08:51.

    Conclui-se assim o movimento de aproximação recíproco entre o Irão e Portugal, depois de em Junho de 2006, o embaixador do Irão em Portugal ter reclamado uma presença mais activa do nosso país no relacionamento económico e político entre a Europa e o Irão, um dos principais fornecedores de petróleo e gás natural à Europa (ler despacho da Lusa). Portugal precisa de quase tudo: petróleo, gás natural, petro-euros, visão e alguma coragem!

  • As viagens de comboio como terapia anti-stress.

    24-01-2008. Gosto mesmo de comboios. São o único meio de transporte anti-stress, desde, claro, que não haja nenhum imprevisto, nem estejam apinhados até à porta. Ir de comboio para o Porto, ou voltar de lá confortavelmente instalado, sabendo que as três horas que se seguem são só nossas, é o maior dos privilégios. -- Isabel Stilwell, in Destak.

  • Société General perde 4,9 mil milhões de euros

    24-01-2007. Um dos maiores bancos franceses, especialista em mercados de "derivados", acaba de constatar a perda de 4,9 mil milhões de euros nas suas operações em mercados de "futuros". A culpa foi atirada para um dos apostadores deste mega casino, mas há quem tenha muito dificuldade em engolir esta história mirabolante. A ser uma fraude realizada ao arrepio do banco (facto já sob investigação do Banco de França), será a maior de sempre na história bancária mundial. A Société General, cuja acções caíram 50% no decurso dos últimos seis meses, acabam de ver fortemente reduzidos os lucros esperados em 2007 e precisa de injectar dinheiro fresco, no montante de 5,5 mil milhões de euros, para reequilibrar a situação de liquidez da instituição. Este banco reconheceu ainda ter perdido 2,05 mil milhões de euros na crise de crédito de risco mal parado (Subprime). O maremoto da especulação financeira está longe de acalmar! BBC News, Bloomberg.

  • NATO defende ataque nuclear preventivo!

    24-01-2008. A NATO poderá vir a recuperar a opção do ataque nuclear preventivo, como forma de "evitar o uso de Armas de Destruição Maciça", defende num documento explosivo assinado por cinco dos mais graduados militares e estrategas da organização, oriundos dos Estados Unidos (General John Shalikashvili), Alemanha (General Klaus Naumann), Holanda (General Henk van den Breemen), França (Admiral Jacques Lanxade) e Reino Unido (Lord Inge). Este manifesto, cujo principal objectivo é relançar uma organização cada vez mais impotente e desajustada da realidade, foi apresentado ao Pentágono e ao Secretário-Geral da NATO nas últimas duas semanas, destinando-se a ser discutido na cimeira da NATO que terá lugar em Bucareste no próximo mês de Abril. (The Guardian)

    Texto integral e debate em Democracia Virtual.

  • Movimentos tectónicos na balança dos poderes mundiais

    23-01-2008. George Soros: "I'm not looking for a worldwide recession"; "I'm looking for a significant shift of power and influence away from the US in particular and a shift in favour of the developing world, particularly China." -- in BBC News.)

  • Barroso lança roteiro energético europeu.

    23-01-2008. O Presidente da Comissão Europeia reafirma que os objectivos energéticos europeus passam por reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 20% até 2020, podendo subir até 30% no âmbito de um acordo internacional mais alargado. Barroso insistiu que chegou a hora de começar a reduzir para metade, até 2050, as emissões mundiais de gases prejudiciais ao equilíbrio do planeta (BBC News, 22-01-2008). A fim de trazer para este esforço alguns países mais hesitantes, como por exemplo os EUA, José Manuel Durão Barroso coloca mesmo a hipótese de a Europa vir a impor "tarifas carbónicas" às importações, caso os países exportadores clientes da Europa insistam em não colaborar no roteiro para o combate às alterações climáticas e consequente redução das emissões de gases nocivos para a atmosfera. (BBC News, 22-01-2008).

    - Desenvolvimento e debate em Democracia Digital

  • Terça-Feira negra. Bolsas continuam a cair na Ásia e na Europa!

    22-01-2008 (actualizado às 20:00). A recessão sistémica mundial é um facto! Por volta da meia-noite de hoje publicamos a nossa análise retrospectiva, as previsões e as recomendações urgentes para a actual emergência económica. Leia o nosso post das 00h00: "Estilhaços da Globalização". O debate seguir-se-à em Democracia Virtual. INSCREVA-SE!

  • Segunda-Feira negra: a maior queda bolsista mundial desde o 11 de Setembro!

    21-01-2008. Não foi preciso nenhuma carnificina terrorista, para assistirmos ao monumental colapso financeiro de hoje. Os 145 mil milhões de dólares de isenções fiscais e ajudas prometidas por Bush para incentivar a moribunda economia americana apenas anteciparam o inevitável "crash". A crise que aí vem não vai durar 6 meses, nem estará resolvida em 2009. Adivinhe-se quem serão os principais prejudicados.

  • Merril Lynch, contas de 2007: buraco de 22,1 mil milhões de dólares! Chegaria para financiar 5 ou 6 Novos Aeroportos de Lisboa.

    O gigante financeiro norte-americano é mais uma "vítima" da gula especulativa. Depois do Subprime vem aí um novo tsunami: o dos
    Credit Default Swaps (CDS). O sangue das dívidas e dos valores fiduciários continuará a correr abundante em 2008!

  • US Dólar nos 30 cêntimos de Euro em Outubro de 2008? A crise continua!

    17-01-2008. "According to our research, if the US fail to make the best of this period and find the means to cope with both long- and short-term simultaneous challenges, they will soon be following the road that conducted Argentina from one of the world’s richest countries before WWII down to one of the poorest today. In any event, as anticipated in several previous issues of the GEAB, it is inevitable that the US citizen goes through a 50 percent downgrading of his average living standard. But for the time being, all presidential candidates seem extremely far from such level of awareness." -- Global Antecipation Bulletin #21.

  • Barroso: verde, pro-oligopólios ou renovável?

    17-01-2008. José Manuel Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, está a ser entalado entre, por um lado, Sarkozy, a Alemanha e a Espanha, por causa da aparente dureza das metas definidas pela Comissão Europeia relativamente aos objectivos pós-Quioto e, por outro, pelos produtores de energias renováveis, que se queixam das intenções do Presidente da Comissão estar a favorecer os grandes oligopólios nacionais, os quais têm como objectivo evidente impedir e absorver as indústrias e iniciativa nascentes no campo do desenvolvimento das energias renováveis. O debate promete!

    - Desenvolvimento e debate em Democracia Digital

  • Base militar francesa no Golfo

    15-01-2008. Sarkozy acorda com os Emiratos Árabes Unidos o estabelecimento de uma base militar francesa permanente naqueles territórios, a primeira de uma potência Ocidental além dos EUA. Duas ilacções: 1) isto não seria possível se o Tratado de Lisboa fosse igual ao Tratado Constitucional proposto por Valérie Giscard D'Estaing e rejeitado pela França e pela Holanda; 2) a queda do dólar abre portas ao maior envolvimento do eixo Paris-Berlim nos assuntos do Médio Oriente, equilibrando assim o excesso de influência, recentemente muito desastrosa, do eixo Washington-Londres. Ler BBC News

  • US Dólar à beira dos 50 cêntimos de Euro!



    15-01-2006. Com o Citigroup, a Merrill Lynch e o Stanley Morgan, de pires na mão à porta das reservas soberanas da China e dos países árabes, anunciando dezenas de milhares de despedimentos, e denunciando uma recessão, já reconhecida pela Goldman Sachs, a nota verde continua em queda livre há sete semanas consecutivas. É bem provável que ainda esta semana se desvalorize até metade do euro. Ver BBC News.

    Caldeirada Subprime à portuguesa

    Porque será que o Joe Berardo quer ir para o BCP, e vendeu a operadora de cabo Pluricanal à PT Multimédia (irá a famosa Autoridade da Concorrência aprovar mais esta concentração monopolista?!) Porque será que o presidente da Caixa Geral de Depósitos e o comissário político que o PS lá colocou, se querem pisgar para o BCP? Eu digo-vos: porque a CGD tem um buraco Subprime por revelar e explicar, e porque a nacionalização do funfo de pensões do BCP pode render qualquer coisa como 4 mil milhões de euros! Daí esta espécie de OPA da Caixa sobre o BCP!
    O ex-supervisor da CMVM, actual ministro das finanças, e o Sr. Constâncio, ainda vão ter muitas explicações a dar ao país que lhes paga os vencimentos.

  • Citigroup perde em 3 meses mais do que um aeroporto em Alcochete: $9,83 mil milhões, i.e. 6,26 mil milhões de euros!

    15-01-2008. Principais perdas do Sub-prime conhecidas

    Falta fazer uma lista dos casos portugueses...

    (bn = mil milhões)

    Merrill Lynch: $22.1bn
    Citigroup: $18bn
    UBS: $13.5bn
    Morgan Stanley $9.4bn
    HSBC: $3.4bn
    Bear Stearns: $3.2bn
    Deutsche Bank: $3.2bn
    Bank of America: $3bn
    Barclays: $2.6bn
    Royal Bank of Scotland: $2.6bn
    Freddie Mac: $2bn
    JP Morgan: $3.2bn
    Credit Suisse: $1bn
    Wachovia: $1.1bn
    IKB: $2.6bn
    Paribas: $197m

    Fonte BBC News

  • Quanto ouro há realmente no Banco de Portugal?

    14-01-2008. O Público, em artigo do passado dia 8, nada adianta sobre reservas reais do Banco de Portugal, que O António Maria não tivesse já adiantado em Setembro do ano passado.
    De facto, à pergunta que foi então dirigida ao António Maria, sobre quais são as actuais reservas de ouro portuguesas disponíveis no Banco de Portugal (ou em Fort Knox!), a resposta foi: "não se sabe!". É um "fenómeno que ocorre em muitos bancos centrais, nomeadamente nos EUA, onde se presume que boa parte do ouro de Fort Knox tenha "voado" a ritmo acelerado desde a presidência de Ronald Reagan. As reservas em ouro, Gold Swaps e divisas, declaradas pelo Banco de Portugal e relativas a Dezembro de 2006 somam US$9.880 milhões. Não se sabe, pois, quantas toneladas efectivamente possui o país, ou se as toneladas vendidas sob contrato de re-compra (Gold Swaps) foram ou não recompradas, e portanto as nossas reservas de ouro oscilarão entre 462,2 ton., 417,4 ton. e 166 ton.! E o respectivo valor (tomando a onça troy ao valor de hoje, 10-09-2007: US$ 740.4) oscilará (se não me enganei nas contas) entre estas três possibilidades: US$11.002.399.577,400; US$9.935.961.885,779; US$3.951.532.518,062."

    No artigo do Público ficamos a saber que em Novembro de 2007 (em que dia?!) o "ouro detido" no Banco de Portugal valia 9.762,3 milhões de USD. Ou seja, feitas algumas contas, cerca de 345,9 ton. Menos, portanto do que o intervalo superior e mais do que o mínimo então calculados com base na nebulosa informação prestada pelo banco. Custa assim tanto ao Sr. Constâncio dizer quantas toneladas de ouro constam das reservas do país? Quanto destas destas toneladas são reais (i.e. ouro sólido), e quantas foram vendidas com cláusulas de recompra (Gold Swaps)? -- OAM

  • União Europeia recua no biodiesel!



    14-01-2008. O Comissário Europeu do ambiente Stavros Dimas acaba de reconhecer que o cultivo intensivo de milho (transgénico, claro!) e outros agro-combustíveis, até chegar aos 10% do fuel rodoviário consumido na Europa, é uma meta perigosa e que deverá ser abandonada. Os bio-combustíveis têm um efeito afinal irrelevante na diminuição da emissão de CO2 e, por outro lado, os efeitos desta política têm consequências terríveis para os países mais pobres, seja por efeito do aumento extraordinário dos preços dos cereais, seja pela devastação florestal que tem vindo a induzir em países como o Brasil e a Indonésia, seja pela deslocação e desalojamento forçada das populações provocada pela ambição das grandes empresas energéticas mundiais. Se pensarmos que esta conclusão vem na sequência da decisão francesa de suspender o uso do milho transgénico OGM MON810, é caso para dizer ao cínico ministro português da agricultura que é tempo de rever as suas decisões. Ler notícia na BBC News.

  • Sarkozy inunda países árabes de tecnologia nuclear!

    13-01-2008. Depois de ter assinado acordos nucleares com a Argélia e a Líbia, o garnisé francês acaba de aterrar na Arábia Saudita, de onde seguirá para o Qatar e Emiratos Árabes Unidos, com uma malinha cheia de rebuçados nucleares. "Se não podes vencê-los, junta-te a eles!", lá reza o ditado. E assim, a nova doutrina europeia, inaugurada pela França, nas palavras de Sarkozy, é esta: "A partilha de tecnologia nuclear civil será um dos fundamentos do pacto de confiança que o Ocidente terá que forjar com o Mundo Islâmico".
    Onde vai a retórica de Bush! A realidade tem sempre muita força. Ou seja, ou a Europa se mexia ou teríamos muito em breve a China e a Rússia a fornecer a ciência de Einstein aos maiores produtores de petróleo do planeta. É que são eles quem tem a verdadeira liquidez soberana! E além do mais, acaba por ser a maneira óbvia de recolocar a questão iraniana nas suas devidas proporções. Há cerca de dois anos, numa reunião promovida em Paris por Franck Biancheri (a alma da Europe 2020), em que participei, Franck avançava a necessidade de convencer as sumidades políticas de Bruxelas para a necessidade de abrir o clube nuclear, nomeadamente aos países árabes, como única forma de encontrar uma nova geometria no equilíbrio do terror. Creio que a mensagem chegou aos ouvidos de quem Biancheri menos esperava: o "oficial de transmissões de Bush", como lhe chama. Se somarmos a esta notícia de hoje, a vitória ontem do Kuomintang nas legislativas da Ilha Formosa, que acelerará e muito os planos de reunificação da China promovidos por Hu Jintao, percebemos como este início de ano fervilha de emoções. O fim da hegemonia económica e geo-estratégica americana, de que falamos há pelo menos um ano, chegou em Dezembro passado à nossa desmiolada e subserviente imprensa. Talvez daqui a uns meses retomem a notícia sobre as eleições de 12 de Janeiro de 2008 na Ilha Formosa (ler a previsão do Economist). Sobre a nova estratégia nuclear "business as usual" de Sarkozy, ler a notícia da BBC News.

  • Nacionalistas do Kuomintang obtêm grande vitória eleitoral na Ilha Formosa (Taiwan)



    58,5% dos votos e 72% dos assentos parlamentares, ou seja, 81 lugares para o Kuomintang, o partido vencedor, favorável à aproximação entre as "duas" Chinas, contra 27 para o principal partido, independentista, agora na oposição, é a corda que faltava ao relógio da re-unificação da China. Aconteceu, por mérito da persistência e diplomacia de Pequim e do seu actual líder, Hu Jintao (um político extraordinário). O senhor Bush não deve ter dormido esta noite. Lá se foram os louros do circo montado nos territórios ocupados da Palestina. A nova super-potência vem aí! Ler artigo na BBC News.

  • Bolsas americanas em queda desde o Natal!

    12-01-2008. O mercado bolsista cai em Nona Iorque há três semanas consecutivas -- algo que não acontecia desde Agosto -- com a perspectiva cada vez mais oficial de que o período de crescimento dos últimos seis anos chegou ao fim. Outros, mais directos, chamam-lhe RECESSÃO! Ler Bloomberg e Culture of Life News.

  • França suspende cultivo de milho transgénico!

    11-01-2008. A França decide desencadear o procedimento de suspensão da cultura do milho transgénico OGM MON810, previsto na União Europeia, seguindo assim o aviso da Alta Autoridade provisória sobre Organismos geneticamente modificados, o qual se pronunciou sobre a existência de "elementos científicos novos" e numerosas interrogações a propósito deste cultivo. in LCI.fr

  • Recessão chega aos EUA.

    08-01-2008. Segundo a Merrill Lynch, a economia dos EUA acaba de entrar efectivamente no seu primeiro mês de recessão. Apesar do desacordo da Lehman Brothers sobre este juízo, entre a recessão de facto e o correspondente reconhecimento oficial não vai tardar mais do que umas semanas. Ve notícia na BBC News.

  • Subprime desembarca no Crédit agricole!

    21-12-2007. "A la surprise générale, le Crédit agricole, l'un des piliers du secteur bancaire français, dont la gestion est traditionnellement prudente, a révélé, jeudi 20 décembre, que sa filiale Calyon afficherait des pertes en 2007. La crise des subprimes lui aurait coûté à ce jour 1,6 milliard d'euros."

    "Pire, la Banque verte pourrait être la première d'une longue liste. Selon nos informations, la Commission bancaire, l'autorité de tutelle des banques françaises, a durci sa position, exigeant des établissements qu'ils passent leurs comptes "à la paille de fer". Pour restaurer la confiance des investisseurs, l'heure est, selon elle, venue d'une opération vérité. L'arrêté des comptes des banques françaises pour l'année 2007, qui s'effectuera dans les premières semaines de 2008, s'annonce très tendu." -- in Le Monde.

  • Analistas avisam que mais de 2 biliões de dólares ($2 trillion) aplicados em obrigações seguradas podem estar em risco

    21-12-2007. A maior seguradora de obrigações americana, e provavelmente do mundo, a MBIA, revelou que tem mais de 30 mil milhões de dólares engolidos pelo buraco negro do crédito imobiliário de risco (subprime). As acções caíram de imediato 26% em Wall Street. Mas o pior é que, mais uma vez, estamos a descortinar apenas a ponta de um novo iceberg catastrófico para a economia americana (e europeia): a provável insolvência de milhares de milhões de dólares aplicados em pensões de reforma!

    -- Ver notícia desenvolvida na BBC News

  • O regresso da Guerra Fria marca o fim do ano de 2007.

    20-12-2007. "O lançamento de um míssil de intercepção americano, a partir da Europa Central poderá provocar um contra-ataque com mísseis intercontinentais..." -- General Yuri Balyevsky, Chefe do Estado Maior Russo.

    Ler a propósito o artigo de Mike Whitney, publicado no Information Clearing House, Putin Agonistes: Missile Defense will not be Deployed.

  • TIME elege Vladimir Putin personalidade do ano.



    Nada que o António Maria não tivesse antecipado em Outubro, aquando da visita do novo Czar russo a Portugal.

  • Estados Unidos e Europa: saldos de Natal. Ou a bancarrota por vir.

    20-12-2007. Alguns dos maiores bancos europeus e americanos de investimento (Morgan Stanley, Bear Stearns, Citigroup, UBS, ...), gravemente afectados pelo tsunami de crédito imobiliário mal-parado, abrem as pernas aos investidores institucionais do Médio Oriente e da Ásia. Os episódios, para já, são reveladores: Government of Singapore Investment Corporation: injecção de capital no UBS: 9,7 mil milhões de USD; braço financeiro do Abu Dhabi: injecção de capital no Citigroup: 7,5 mil milhões de USD; Citic Securities (China): injecção de capital no Bear Stearns: mil milhões de USD; China Investment Corp: injecção de capital no Morgan Stanley: equivalente a 9,9% do banco!

    A OCDE prevê um buraco financeiro global na ordem dos 300 mil milhões de dólares.
    A Goldman Sachs aponta para valores na ordem dos 400 mil milhões!
    O BCE inundou o mercado inter-bancário europeu com uma mar de liquidez (i.e., mais dívida e mais inflação suicida) de meio bilião de dólares!!
    O buraco negro provocado pelas fichas do casino SUBPRIME andará, no entanto, segundo Elaine Supkis, à volta dos 1,5 biliões de USD. Algo parecido com as reservas chinesas de Sovereign Wealth. Ou dois anos de déficit comercial dos EUA!

    Ver notícia na BBC News.

    Ler também no Guardian online Stephen King: Central bankers ride to the rescue -- or is this Custer's Last Strand?

  • Mais bacalhau para o Natal!

    19-12-2007. União Europeia aprova aumento de 11% na quota de pesca de bacalhau no Mar do Norte, em parte justificada pela recuperação tímida dos bancos deste procurado peixe.

    Apesar de contestada, a medida duramente negociada pela presidência portuguesa da UE aponta para medidas complementares de racionalização da actividade destinadas a promover a sustentabilidade deste ameaçado sector industrial. A tendência continua, no entanto, a ser de redução a prazo deste tipo de actividade. Mas o que não deve continuar a acontecer é a morte inútil de toneladas de peixes, que são lançados ao mar depois de pescados, apenas para cumprir as quotas de captura decretadas pela União. Um sistema de multas progressivas, e a total proibição de lançamento de peixe pescado ao mar, seria certamente mais inteligente. Ver noticia desenvolvida em Público e BBC News. -- OAM.

  • BCE injecta 348,7 MIL MILHÕES DE EUROS no chaparro seco da banca europeia!

    18-12-2007. Encontrar as caixas de multibanco vazias durante a quadra natalícia seria uma porra para a auto-estima cada vez mais baixa da Eurolândia! -- Ver dossiê em BBC News

  • Nações Unidas (FAO) advertem para o surto de "motins alimentares" provocados pela subida do preço da comida.

    17-12-2007. Alimentação sobre 40% em 2006, ameaçando milhões de pessoas em 37 dos países mais pobres do planeta. O aumento espectacular da procura de cereais, crescentemente solicitados para alimentar o gado que tem vindo a enriquecer a dieta de carne da população chinesa, e ainda a produção dos bio-combustíveis, fez disparar os preços e as dificuldades de acesso aos mesmos por parte das sociedades economicamente mais frágeis. Foram já registados múltiplos "motins alimentares" em vários países. -- in BBC

  • 17-12-2007. Mad about Food: um debate muito oportuno promovido pela BBC

    "Do you ever give a second thought to what you eat? What's in your shopping basket? What are our eating habits?"

    "Mad About Food, a BBC News exploration of the complex story behind the global food supply chain and its impact on the environment, is running across TV, radio and online all week from 17 December."

    "Every day, BBC News 24 will hold a live interactive debate on different issues."

  • 14-12-2007. Imobiliário especulativo espanhol retira do mercado português

    A bolha especulativa do imobiliário espanhol começou a rebentar. Há edifícios a mais em toda a península; deram cabo do Sul de Espanha (e não só); lançaram-se milhares de fundos de investimento especulativo, assentes em vastas operações de branqueamento de capitais e sobretudo em muitas dívidas e outras formas de dinheiro virtual, que agora começam a sumir-se, à escala global, pelo buraco negro da maior crise financeira depois do grande crash de 1929. O que aconteceu aos pequenos especuladores da Afinsa, ou do 12 Daily Pro, vai agora tombar, como uma catástrofe, sobre muita poupança individual e institucional (atenção aos fundos privados de pensões!!) -- Semanário Económico

  • 13-12-2007. 1,7 milhões de famílias americanas perderam as suas casas depois de terem deixado de pagar os respectivos empréstimos. Calcula-se que mais 2 milhões de famílias venham a ter a mesma sorte em 2008!

    Esta é uma crise social e humanitária sem precedentes nos EUA. Mais de 11 milhões de americanos, na sua maioria negros e latino-americanos, terão que ser acolhidos em habitações e acampamentos temporários até que a crise se resolva, se é que tem solução! É aqui, e não em Bagdade, que Bush está a perder a sua hedionda guerra contra tudo e contra todos. A decadência acelerada da América começou. Ver YouTube video.

  • 12-12-2007. Bancos centrais de ambos lados do Atlântico injectam montanhas de liquidez (110 MIL MILHÕES DE USD!) nos sistemas bancários americano e europeu.

    Além de ser a prova provada de que continua em curso uma monumental crise de liquidez no sistema financeiro euro-atlântico, e de que está mesmo em causa a altíssima probabilidade de uma recessão sem precedentes nos EUA... que alastrará à Europa, resta saber se os milhares de milhões de dólares a caminho dos piratas da actual economia virtual chegarão, e chegarão a tempo. Quatro perguntas: 1) onde está a mão invisível do mercado? 2) quem está a pagar realmente esta pesadíssima factura? 3) a quem vai servir este rio de dinheiro fresco, se não aos mesmos piratas que criaram um dos maiores buracos negros da liquidez financeira mundial? 4) e se mesmo assim os bancos e fundos de investimento continuarem à beira do precipício, e começarem a saltar?! Entretanto, o preço do petróleo voltou a disparar e as acções caiem livremente segundo as famosas leis da gravidade!

    12-12-2007. The Federal Reserve, European Central Bank and central banks from the UK, Canada and Switzerland are to jointly help banks deal with the credit crunch. -- BBC online.

    Dec. 12 (Bloomberg) -- The Federal Reserve, European Central Bank and three other central banks moved in concert to alleviate a credit squeeze threatening global growth, in the biggest act of international economic cooperation since the Sept. 11 terrorist attacks. -- Bloomberg.

    13-12-2007. The actions are on a greater scale than the moves taken by the Fed to shore up the economy after the 9/11 attacks on the US, indicating the severity of the current situation and how seriously central banks are taking it, analysts say. BBC online

  • 10-12-2007. UBS perde uma fortuna no casino dos subprime!

    Provisões de emergência vindas do Government of Singapore Investment Corporation e do governo de Oman salvam para já buraco financeiro de 10 mil milhões de US$ registados na famosa Union de Banques Suisses.

      "BBC business editor Robert Peston said that the fact UBS had felt the need to raise so much new capital was "all you need to know about the gravity of what has occurred, both for UBS and for the world financial system".


      "It's further evidence of the transfer of financial power from the western economies to the great cash generating economies of Asia, Russia and the Middle East - which are able to dictate the terms on which they prop up our important institutions," he added.

  • 9-12-2007. MORTGAGE MELTDOWN

    Interest rate 'freeze' - the real story is fraud

    Bankers pay lip service to families while scurrying to avert suits, prison

    "At stake is nothing short of the continued existence of the U.S. banking system." -- Sean Olender, San Francisco Chronicle.


  • What is Progress? (para os lunáticos do meu país)

    04-12-2007. To stabilise temperatures at 1.5° above the pre-industrial level requires a global cut of 100%. The diplomats who started talks in Bali yesterday should be discussing the complete decarbonisation of the global economy.

    It is not impossible. In a previous article I showed how by switching the whole economy over to the use of electricity and by deploying the latest thinking on regional supergrids, grid balancing and energy storage, you could run almost the entire energy system on renewable power. The major exception is flying (don't expect to see battery-powered jetliners) which suggests that we should be closing rather than opening runways. -- By George Monbiot. Published in the Guardian 4th December 2007.

  • Subprime, o tango da Justiça começou!

    Procurador-Geral de Nova Iorque envia intimações a 3 dos grandes responsáveis pela presente crise financeira mundial: Merrill Lynch, Bear Stearns e Deutsche Bank. Chegara a vez do quarto pirata, Goldman Sachs, ser chamado a dar explicações sobre como foi possível fazer um monumental chop-suy de montanhas de hipotecas de alto risco, empacotá-las em variadísimos "veículos" especulativos e espetar com a banca estado-unidense e europeia no chão?

    Wall St. Firms Said to Receive Subpoenas

    December 5, 2007, 8:10 am. Merrill Lynch, Bear Stearns and Deutsche Bank are among the Wall Street firms that have been sent subpoenas from the office of the New York state attorney general, which wants to know about how mortgages were sliced up and resold to investors, The Wall Street Journal reported. -- The New York Times.

  • Nothern Rock pode ser nacionalizado em Fevereiro!

    04-12-2007. Esta coisa, que nem sequer é inglesa, pois trata-se de um desses típicos bancos piratas, sediados num dos paraísos fiscais criados pela corrupta monarquia britânica, está a ter uma sangria diária na ordem dos 200 milhões de Libras (280,725 milhões de Euros!), e espera ansiosamente que o Governo do "socialista" Gordon Brown, depois de um acordo relâmpago entre "Trabalhistas" e "Conservadores", NACIONALIZE a instituição pirata!! -- in Telegraph.co.uk

  • 03-12-2007. "The global banking crisis continues and gets much, much worse." ... "And Europe realizes it is also falling off the same mountain the US is falling off of. A mountain of debt and M3 money creation."

    ... "The failure of all the systems set up by the West to prevent financial meltdowns like the one we are seeing today have failed because we frankly, do not want to take the harsh IMF medicine we prescribed to many a third world or South American nation." -- Elaine Meinel Supkis, Culture of Life News.

  • 25-11-2007. La Caixa promove fracasso da absorção do BCP pelo BPI.

    Os dois bancos já perderam 900 milhões de euros com esta brincadeira e amanhã irão perder algo mais! Entretanto, pode estar para breve um ataque combinado do La Caixa (desempenhado pelo BPI) e do BBVVA contra o BCP. O aparecimento de duas OPAs concorrentes para o domínio do maior banco privado português parece estar eminente. Se tal ocorrer, uma coisa é certa: o banco vai parar a Espanha! Entre o gigante de origem basca e a caixa catalã, o resultado parece previsível.

  • 24-11-2007. A pressão da troika EUA-UE-Japão sobre a China não faz qualquer sentido!

    "The top three M3 producing markets together made nearly $34 TRILLION while China made a tiny amount, only $5 trillion. The US/EU/Japan troika made 7 times what China made. If we add the UK to this, it would be $37 trillion. If we took England's $4 trillion and China's $5 trillion and add them together, both are equal to all the rest of the world outside of the US/EU/Japan troika. (...)

    "We know that Trichert and Bernanke and the Bank of Japan knows perfectly well, what is causing their neck muscles to tighten up and their shoulders to hunch forwards. It is the fear that the 'carry trade' has evaporated. Collapsed. And can't be easily revived. Not with China wanting a stronger yen." -- Bank of Europe Injects More Money Into Collapsing System, Elaine Meinel Supkis.

  • 23-11-2007. O Economist defende nacionalização do Northern Rock!

    "This newspaper has, to put it mildly, never been a fan of nationalisation. But with Northern Rock this increasingly looks like the least bad option from a taxpayer's point of view (unless a credible buyer appears). And, in any case, the damage is half-done: in effect the state already owns a chunk of it." -- Northern Rock, "Pulling the plug", Nov 22nd 2007, From The Economist print edition.

  • 23-11-2007. Northern Rock transfere dinheiro dos contribuintes ingleses para paraíso fiscal de sua magestade!

    Fresh doubts emerged last night about Northern Rock's ability to repay the £23bn of taxpayers' money it has been lent by the Bank of England. -- The Guardian.
    A Guardian examination of Northern Rock's books has found that £53bn of mortgages - over 70% of its mortgage portfolio - is not owned by the beleaguered bank, but by a separate offshore company.

  • Finantial System Meltdown. "I now see the risk of a severe and worsening liquidity and credit crunch leading to a generalized meltdown of the financial system of a severity and magnitude like we have never observed before." (Nouriel Roubini's Global EconoMonitor)

  • Novo Aeroporto de Lisboa, entre Pinhal Novo e Poceirão

    "Para uma boa integração territorial do país, será desejável que as deslocações Norte-Sul não atravessem Lisboa e se façam antes pelo leste do Tejo, entrando e saindo de Lisboa apenas o que for absolutamente necessário para as actividades nessa zona."

    O Plano Integrado para o Novo Aeroporto de Lisboa, Rede de TGV e Terceira Travessia do Tejo (PDF), proposto pelo engenheiro Silvino Pompeu Santos, datado de 19-11-2007, é a primeira visão de conjunto, coerente e detalhada, a que tive acesso. Começa por evidenciar algo muito simples, mas que até agora a gentinha amestrada pelo dromedário das Obras Públicas ainda não entendeu, ou não quis entender, isto é, que não se pode falar de um novo aeroporto, sem falar da rede ferroviária de Alta Velocidade e Velocidade Elevada, de plataformas logísticas e de racionalidade e relações custo-benefício sustentáveis.

    Enquanto o sítio web da RAVE continua a ser um deserto de informação, vale a pena ler este estimulante documento. A CIP e o Prof. Viegas que se ponham a pau!

  • A RAVE está a regar!

    Rui Rodrigues: "A RAVE, em vez de criticar na Imprensa as opiniões construtivas, deveria publicar na Internet projectos de engenharia que demonstrem que as suas ideias são as melhores, pois, desde o ano 2000, nunca apresentou nenhum projecto de execução."

    Obrigatório ler mais esta demolidora análise das fantasias governamentais (PDF).

    Se isto fosse a China de hoje, o dromedário Mário Lino e a sua provocadora Secretária de Estado (a Ana Paula Vitorino) há muito que teriam sido obrigados a prestar contas das suas aldrabices e despejados dos gabinetes que ocupam irresponsavelmente. Se não lhe sucedesse coisa pior!

  • Dólar a caminho dos 50 cêntimos de euro!

    Nov. 9 (Bloomberg) -- The dollar declined against 10 of the world's 16 most-active currencies (...) The dollar fell to a record low versus the euro and to the weakest in 26 years against the British pound (...) Stretch forecasts the dollar will fall to $1.49 per euro by the end of the year.

  • China Gets Russia And US Gets France

    Diplomacy of Bush versus the historic new alliances of China: the US has a buddy in Paris so we are now full of energy and determination to attack Iran while Russia and China form an amazing alliance. For the first time in 70 years, the US has a major alliance that can take us down militarily as well as economically. The US got one of the 7 dwarves that we had all along, anyway, while Hu reeled in Russia, a major power. -- Elaine Meinel Supkis, November 7, 2007.

  • Oil Rises to Record $94.80 as U.S. Supplies Fall to 2-Year Low. Bloomberg (31-10-2007)
  • A Subprime Outlook for the Global Economy

    By Stephen S. Roach*

    After nearly five fat years, the global economy is headed for trouble. This will come as a surprise to policy makers and investors, alike-most of who were counting on boom times to continue. (...)

    Seven years ago, the bursting of the dot-com bubble triggered a collapse in business capital spending that took the US and global economy into a mild recession. This time, post-bubble adjustments seem likely to hit US consumption, which at 72% of GDP, is more than five times the share the capital spending sector was seven years ago. This is a much bigger problem - one that could have grave consequences for the US and the rest of the world.

    There is far more to this story than a potential downturn in the global business cycle. Another post-bubble shakeout poses a serious challenge to the timeworn inflation-targeting approach of central banks. It also presents the body politic with a fundamental challenge to its tolerance and, in many cases, encouragement of a new asset-dependent strain of global economic growth. Subprime spillovers have only just begun to play out - as has the debate this crisis has spawned.

    * Stephen S. Roach is Chairman of Morgan Stanley Asia, serving as the Firm's senior representative to clients, governments, and regulators across the region. Prior to his appointment as Asia Chairman, Mr. Roach was Morgan Stanley's Chief Economist.

    read more from Investor's Insight

  • Crude Oil Rises to Record $90 After Dollar Drops Against Euro .

    Oct. 19 (Bloomberg) -- Crude oil rose to a record $90 a barrel in New York after the U.S. dollar fell against the euro, enhancing the appeal of commodities as an investment.

    Investors purchased oil on speculation the Federal Reserve will cut borrowing costs to bolster the U.S. economy when the bank next meets Oct. 31. Interest-rate futures show a 70 percent likelihood the Fed will lower its target rate for overnight loans a quarter-percentage point to 4.5 percent.

    ``There's still no end in sight in terms of what people are willing to pay,'' said Bob Frye, commodity broker at Access Futures & Options Trading in Woodlake, California. ``With the weakness in the dollar'' we may get to $96 if prices stay much above $90, he said.

  • 18-10-2007. US dólar continua em queda.

    Dólar volta a cair para um mínimo face ao euro de $1,430
    Bank of America perde 4 mil milhões de US$
    Acções caiem nas bolsas de NY desde as 9:00am

    Aposto 3 euros com o Teixeira dos Santos em como vai ter que corrigir as suas fantasias orçamentais antes de o Inverno chegar ao fim. (Bloomberg)

  • Crise financeira: ministro português diz que a tempestade já passou. Diário Digital, 17-10-2007.

    O ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, considerou hoje que a «tempestade» nos mercados financeiros já passou e que foi um teste severo ao sistema.

    Aposto 1 euro com este ministro em que irá engolir o que disse até ao fim deste ano. Aposto 2 euros em como o mesmo ministro vai engolir esta baboseira várias vezes ao longo do próximo ano!

  • 15-10-2007. Russia is growing 7% a year, China is growing 11% a year and the US/EU/UK Axis is growing at between 1.5% to 2.5 % a year. This is bad news for us. At this rate, Russia and China will both dominate the planet. In just 10 years. Money Matters by Elaine Meinel Supkis.

  • 15-10-2007. Petróleo ultrapassa mais uma barreira: 86 USD. Em 1998 o mesmo barril custava 12 USD! Quem disse que a gasolina e o gasóleo não iam subir em 2008? Ver gráfico 1947-2007.

    Oct. 15 (Bloomberg) -- (...) "We have broken out of a technical zone with little or no resistance so there's no telling how high prices will go,'' said Michael Fitzpatrick, vice president for energy risk management at MF Global Ltd. in New York. "Once we get some winter weather, prices will really take off.'' - Oil Rises to a Record on Increased Turkey-Iraq Border Tension By Mark Shenk.

  • É fácil gastar o dinheiro dos outros

    João César das Neves

    A TAP foi ao longo das últimas décadas um dos brinquedos mais caros do País. As Finanças iam avançando para tapar os prejuízos que se sucediam, como as dívidas de um miúdo birrento que gasta mais que a mesada. Havendo vários buracos públicos tão ou mais custosos, a coisa ficava disfarçada. Mas não deixava de ser vergonhoso o que a empresa ia exigindo ao Orçamento do Estado para pagar incompetências e requintes com os impostos dos pobres.
    DN online, 15-10-2007

  • 09-10-2007. Arab Kings Buy Record US Government Bonds.

    "Dear Europe: who, pray tell, is driving up the value of the euro?"

    "If Japan and the West go into a Great Depression of their own making, China will be the invading power, not Japan, not Germany. Not the US" - Money Matters by Elaine Meinel Supkis.

  • 07-10-2007 - "La nueva capital del city break. Lisboa desde 14,99 euros. No te lo pienses más». EasyJet, come on. Let's fly!" - El Mundo. Um artigo que retrata bem as oportunidades de Lisboa e Porto na actual corrida europeia aos "city breaks", e o futuro negro que espera muitas companhia aéreas estatais inviáveis e pouco recomendáveis à luz do espírito liberal da União Europeia.

  • 07-10-2007. It is now official: world commodity prices are inflating. And this is due to the dollar weakening plus an increase in competition for raw materials now that China is a big user of this stuff. -- in Elaine Meinel Supkis, Time To Crunch UN Conference On Trade And Development Statistics.

  • Time To Read Latest IMF Report On World Economy

    Enough Americans were tempted by this promise of a free lunch and free ride, the classic bubble mentality took over and thanks to computers and modern transport systems, the US created our massive debt/trade/housing bubble. Money Matters: Time Read Latest IMF Report On World Economy, by Elaine Meinel Supkis

  • 73,000 workers walk in nationwide GM strike

    UAW strike halts GM operations in 30 states. First round of post-strike negotiations fails to produce deal; talks set to resume Tuesday morning. CNN Money

  • 24-09-2007. IMF Managing Director Rodrigo Rato said that the biggest impact of the crisis will be on the US economy in 2008. BBC News
  • 21-09-2007. HSBC Holdings Plc, Europe's biggest bank, said on Friday that it would close its U.S. subprime mortgage unit, cutting 750 jobs and taking $945 million in charges and write-downs, because the business is no longer sustainable. Reuters
  • 21-09-2007. Mitsubishi UFJ Financial Group Inc., Japan's largest bank, may have to revalue its securities holdings at a "significantly lower price" because of credit-market turmoil triggered by subprime-mortgage defaults in the U.S.

    Goldman Sachs Group Inc., the world's biggest securities firm, said yesterday it had $1.48 billion of losses for marking to market the value of non-investment grade credits. Lehman Brothers Holdings Inc. and Bear Stearns Cos. each recorded $700 million of losses on markdowns of mortgage securities and leveraged loans, and Morgan Stanley's totaled $877 million. All of the firms are based in New York. Bloomberg

  • Greenspan Says Recession Still Possible After Fed Cut

    Sept. 20 (Bloomberg) -- Former Federal Reserve Chairman Alan Greenspan said the odds of a recession remain ``somewhat more'' than one in three even after this week's cut in interest rates, with home prices likely to drop further and hurt consumer spending.

    "Remember, we still have a problem out there, which is a large overhang of unsold newly constructed homes," Greenspan said in an interview today following the publication of his book, "The Age of Turbulence: Adventures in a New World." Home prices "are down only about 3 percent, but they are clearly moving lower."

  • The end of the Western world as we've known it since 1945

    Central bankers are surrounded by all sorts of experts and specialists. The problem is that these experts were invariably mistaken over the past year while LEAP/E2020 anticipated correctly the fall of the US dollar, the collapse of US real-estate, the subprime crisis, the bursting of the financial bubble, the ongoing crash of Spanish, French and British housing markets, etc... Global Europe Antecipation Bulletin, n.17, 15 September 2007.

  • Começou a corrida aos bancos!

    Tal como na Argentina há alguns anos atrás, depositantes ingleses fazem bicha para levantar as suas poupanças. Mas a coisa está muito difícil!!

    Northern Rock shares plunge 25%

    Shares in one of the UK's largest mortgage lenders, Northern Rock, have fallen 25% after it had to ask the Bank of England for emergency funding.

    BBC News Friday 14 September 12:46 GMT

  • Worst crisis for 20 years, say banks

    LEADING bankers are warning of the worst crisis in the money markets for 20 years, which will come to a head this week when $113 billion (£57 billion) of commercial paper – market IOUs – comes up for refinancing.

    This huge refinancing, mainly through London, exceeds the $100 billion that became due in mid-August, and which sparked the most serious phase in the money-market crisis, which has seen banks scrambling for funds and market interest rates rising sharply. “This is a serious pressure point,” said one leading banker.

    Times Online September 9, 2007

  • Congonhas: exemplar reconstituição do maior desastre aéreo do Brasil. Animação interactiva para o El País

  • Eurostar a 300Km/h liga Londres a Paris a partir de 14 de Novembro. in BBC online 04-09-2007.

  • Eurostar, 2007

  • Balanço espanhol: "En el 2010 vamos a ser el país con más kilómetros de tren de alta velocidad en el mundo, y el país con más kilómetros de autovías de Europa. - José Luis Zapatero, El País 02-09-2007

  • A crise de insolvência vem aí!

    Ambrose Evans-Pritchard, Telegraph, on 23 Aug 2007 at 17:38:

    (...) trust had collapsed to such a degree that players with a lot of cash no longer believed it safe to leave wealth in bank accounts, or the money market funds of brokerage companies - (exposed as they are to short-term commercial paper and subprime CDOs). This did not occur after 9/11, or in the heat of the October 1987 crash. Nor did was there such a banking panic in October 1929. (it hit in August 1931). If you think this is of no importance, or that this will pass swiftly, you have a strong nerve.

    (...)

    Albert Edwards, global strategist at Dresdner Kleinwort:

    "When you have a run on the money markets like this, it is bound to spill over into the real."

    "We already thought there was a 40pc chance of a US recession before all this happened, but the risks are now much higher and don’t forget that rates on adjustable mortgages will keep rising until a peak next March, so the maximum pain will be in the second and third quarters of 2008."

    "There will be large bankruptcies, and liquidity is not going to help because too many people bet the farm at the top of the cycle, and they’re now insolvent. A lot more bodies are going to be floating to the surface before this is over."

  • The current turmoil could lead markets into a vicious circle

    warns Domenico Picone, bank analyst at Dresdner Kleinwort. "If the structured finance turmoil continues to persist, it is likely that several European and US conduits will ... be forced to sell assets to meet the commercial paper/liquidity payments," he says. "In such a fire sale of assets, despite the higher rating, pricing will drop further, resulting in even more collateral losses, and continued credit contagion." -- Subprime hits German state banks. By Ivar Simensen and Ralph Atkins in Frankfurt. Finantial Times. Published: August 21 2007 19:44 | Last updated: August 21 2007 19:44

  • Crash? Até onde, e que sabemos dele?

    Espantosamente, alguns comentaristas têm estado a perguntar "se a crise monetária afectará a economia produtiva" e se haverá uma recessão pela frente. Na realidade, a economia produtiva americana tem estado em recessão desde há um ano. Isto é claramente mostrado pelo declínio do M1, a porção da oferta monetária imediatamente disponível para as pessoas fazerem compras.

    How Far Will the Crash Go and What Do we Do Now?

    The "Crash of 2007-8" is underway


    by Richard C. Cook

    Global Research, August 18, 2007

    Tradução portuguesa (Resistir.info)

  • (16-08-2007) Grande trambolhão bolsista!

    Cotadas portuguesas perdem 3,4 mil milhões em três horas

    "Pânico leva bolsa de Lisboa a afundar mais de 4%

    A bolsa nacional está a afundar mais de 4%, naquela que é a maior desvalorização desde 2002. O pânico causado pela crise no imobiliário levou as cotadas portuguesas a perderem 3,4 mil milhões de euros em apenas três horas. Saiba qual as empresas que mais estão a sofrer com a crise."

    Aeroporto ao fundo!

    "O sector da construção é o que está a ser mais castigado esta manhã. A Mota-Engil perde 11,25% para os 5,52 euros enquanto a Teixeira Duarte afunda 13% para os 2,68 euros. A Soares da Costa desvaloriza 8,48% para os 2,05 euros." -- in Jornal de Negócios

  • (16-08-2007) Pânico financeiro mundial.

    -- "Estamos no olho do ciclone".

    -- "Aproximamo-nos do nível crítico de refinanciamento do crédito mal-parado".

    -- "Ainda não acabaram os problemas com as hipotecas de risco. Ainda não sabemos qual a extensão das perdas.

    -- "Temos agora o problema de saber o que acontecerá ao crescimento económico. É demasiado cedo para voltar ao mercado bolsista".

    (Salah Seddik, administradora de fundos da Richelieu Finance de Paris, citada pela Bloomberg e vários outros média económicos especializados.)

    Pôr as barbas de molho: confie mais na Caixa Geral de Depósito e no Montepio do que na banca privada. Especial atenção para os bancos espanhóis e portugueses a eles atrelados. O BCP da Opus (perdão, da OPA!) é um verdadeiro perigo! -- Mais em BBC online (16-08-2007).

  • (15-08-2007) Angústia financeira sem fim à vista. Mercados asiáticos e europeus em queda. (BBC online)

  • (14-08-2007) Crise mundial de crédito imobiliário mal-parado: governos continuam a amamentar o sistema financeiro especulativo. Dizem que é para circunscrever o problema às suas devidas proporções. Serão capazes? (BBC online)

  • (13-08-2007) Banco Central Europeu injecta mais 48 mil milhões de euros. Apesar da cara bonita posta pelos arautos da especulação face à evidente crise económica e financeira mundial, a verdade é que os vários bancos centrais das principais potências económicas mundiais (EUA, Europa e Japão) já colocaram à disposição dos bancos (para evitar uma mais do que certa derrocada dos mesmos) qualquer coisa como €241.786.315.868 (duzentos e quarenta um mil milhões, setecentos e oitenta e seis milhões, trezentos e quinze mil, oitocentos e sessenta e oito euros), isto é, uma vez e meia o PIB português! E se Wall Street começar o dia de hoje mal, e o Japão e a Europa acabarem pior, como vai ser? (ver BBC online)

  • Governo pára estudos sobre a Ota Sol (11-08-2007)

  • Countdown to a crisis, Friday August 10, 2007, Guardian Unlimited

  • Petróleo e bolsas em queda livre Quinta-feira negra... Sexta-feira negra... (World shares fall on credit fears (BBC online, 10-08-2007 11:18 TMG)

  • Stock Market Meltdown, by Mike Whitney

    (...) "AHM warned investors on Tuesday that it had stopped buying loans from a variety of originators. 2 other mortgage lenders announced they were going out of business just hours later. The lending climate has gotten worse by the day. Up to now, the banks have had no trouble bundling mortgages off to Wall Street through collateralized debt obligations (CDOs). Now everything has changed. The banks are buried under MORE THAN $300 BILLION worth of loans that no one wants. The mortgage CDO is going the way of the Dodo. Unfortunately, it has attached itself to many of the investment banks on its way to extinction.

    And it's not just the banks that are in for a drubbing. The insurance companies and pension funds are loaded with trillions of dollars in 'toxic waste' CDOs. That shoe hasn't even dropped yet. By the end of 2008, the economy will be on life-support and Wall Street will look like the Baghdad morgue. American biggest financials will be splayed out on a marble slab peering blankly into the ether." -- in Global Research, August 6, 2007

  • A ilusão dos carburantes agrícolas

    "Sem o ouro negro iraquiano, o mercado petrolífero irá bater contra um muro daqui a 2015" - Fatih Birol.

    (...) "Beaucoup de gouvernements encouragent la consommation de carburants agricoles, notamment en Europe, au Japon et aux Etats-Unis. Certaines de ces politiques ne sont pas fondées sur une rationalité économique solide : les biocarburants resteront très chers à produire. Mais même si ces politiques aboutissent, nous pensons que la part des biocarburants en 2030 sera de seulement 7 % de l'ensemble de la production mondiale de carburants.

    Pour atteindre ces 7 %, il faudra une surface agricole équivalente à la superficie de l'Australie, plus celles de la Corée, du Japon et de la Nouvelle-Zélande..."

    - entrevista com Fatih Birol (Economista chefe e Director da Divisão de Análise Económica da Agência Internacional de Energia), Le Monde, 27-06-2007

  • Petróleo (Brent) pode atingir 95 dólares no final de 2007, segundo Goldman Sachs (17-07-2007)

    O Brent, o petróleo referência para a Europa e para dois terços do mundo, pode estar em risco de subir até aos 95 dólares por barril até ao final do ano, afirma a Goldman Sachs. A principal causa para esta escalada é o facto da organização dos países exportadores de petróleo (OPEP) não aumentar a sua produção. in Jornal de Negócios

    Comentário: o efeito combinado deste aumento, com a subida dos juros bancários, pode revelar-se devastador para o estado actual do endividamento público e privado português.

  • Petróleo a caminho dos 85 USD / barril, durante a segunda metade de 2007, se a OPEC não aumentar entretanto a produção de crude. Ver a análise detalhada acabada de publicar pelo Oilwatch monthly, ASPO Netherlands, 12 July 2007 (PDF)

  • A recessão americana segundo Richard C. Cook, um artigo explosivo de leitura obrigatória. Chama-se The Crashing U.S. Economy Held Hostage / Our Economy is on an Artificial Life-support System e foi publicado pela Global Research em 7/7/2007.
    Uma citação reveladora:

    "The inside word is that we are likely to see major monetary shocks and a possible stock market crash as early as December 2007.
    The worst off will be people locked into retirement funds which have a heavy load of mortgage-related securities. Entire investment portfolios are likely to disappear overnight.
    The banks, along with the bank-leveraged equity and hedge funds, are preparing for the biggest fire sale in at least a generation. Insiders are going liquid to get ready. If you think Enron was 'the bomb,' you won't want to miss this one."

  • Petróleo a subir. Dólar a descer. A verdadeira razão porque o US Dólar continua a cair é a rejeição crescente desta moeda como meio de pagamento internacional. O Irão, que decidiu cortar os activos em dólares para menos de 20% das suas reservas totais de divisas estrangeiras, acaba de exigir ao Japão que passe a pagar o crude iraniano em Ienes, com efeitos a partir de 10 Julho 2007. -- in SandresResearch/Bloomberg.
    Pense um bocadinho: prefere enviar um factura sobre o estrangeiro em Euros ou em US Dólares?

  • A venda dos aneis portugueses. REN e Rede de Gás a patacos. Que diz a Assembleia da República a mais esta delapidação criminosa do património nacional?!

    "Se privatizar é a resposta, qual foi a pergunta?

    (...) Nada de mal acontecerá se, amanhã, após uma patriótica privatização para resolver a emergência financeira de hoje, os planos de expansão da REN forem anunciados num hotel londrino e os lucros das redes energéticas nacionais forem distribuídos pelas viúvas da Escócia, pelos reformados da Califórnia ou pelos oligarcas russos. Mas os consumidores portugueses de energia não retirarão daí qualquer benefício." - Jorge Vasconcelos, Ex-presidente da ERSE e consultor de energia, in Jornal de Negócios, 3/07/2007

  • Steven Pearlstein, "The Takeover Boom, About to Go Bust" -- "The recent decline in home prices and the meltdown in the market for subprime mortgages are the first signs that the air is coming out of the credit bubble." in Washington Post, 13-06-2007.

  • Robert J. Samuelson, "The End of Cheap Credit?" - "The most important price in the American economy is not the price of oil, computer chips, wheat or cars. It's the price of money -- interest rates." in Washington Post, 13-06-2007

  • EUA: a "receflacção". 40 cêntimos de cada dólar pago ao fisco dos Estados Unidos vai para o esforço militar norte-americano (muitíssimo agravado pelas aventuras no Iraque e no Afeganistão). Em 2006 esse esforço correspondia a 26 cêntimos de dólar. Entretanto, o dólar perdeu nos últimos dois anos 15% do seu valor contra o cabaz das principais moedas mundiais. Para responder à profunda crise económico-financeira, cujos efeitos se estendem agora à China e à Europa, a administração Bush deixou de publicar, em Março de 2006, o relatório anual sobre a quantidade dólares legais existente no planeta (o chamado M3) e desatou a imprimir dólares e títulos da dívida pública como se estivesse num jogo do "Monopólio".
    -- da leitura do Global Europe Anticipation Bulletin nr. 16, June 2007.